Conheça a história e 5 diferenciais da Universidade Estácio de Sá

Toda Instituição de Ensino Superior com bases consolidadas tem uma história reconhecida para contar. E a Universidade Estácio de Sá tem essa representatividade evidenciada em muitos momentos da sua trajetória. Fundada em 1970, em uma pequena casa na Zona Norte do Rio de Janeiro, a Faculdade de Direito Estácio de Sá já surgiu com um projeto pedagógico próprio desenvolvido pelo magistrado João Uchôa Cavalcanti Netto, seu fundador, com o propósito de estabelecer um modelo de ensino de excelência na área do Direito.

Com a criação de novos cursos nas Faculdades Integradas Estácio de Sá, em 1972, até os dias de hoje, duas características predominantes atravessam todas as fases da evolução da Universidade Estácio de Sá: a inovação e o empreendedorismo.

Curiosidades que marcam a postura inovadora da Universidade Estácio de Sá

Os cursos superiores foram, gradativamente, se multiplicando na Universidade Estácio de Sá. Atualmente, a instituição conta com 86 cursos de graduação, 110 de pós-graduação, 5 de mestrado e 3 de doutorado – todos reconhecidos pelo MEC/Capes com altos índices de qualidade.

A instituição conquistou o status de Universidade Estácio de Sá em 1988, quando ainda se concentrava apenas na cidade do Rio de Janeiro. Depois dessa data, a faculdade expandiu-se pelo estado do Rio nos anos 1990 e abriu as portas para ganhar o País em 1997, quando instituiu a graduação tecnológica, oferecendo cursos focados em nichos específicos do mercado.

Além dos fatos históricos que envolvem a Universidade Estácio de Sá, algumas curiosidades nos ajudam a conhecer melhor o DNA inovador e a fonte da confiança depositada na instituição de ensino por milhares de docentes e acadêmicos a cada novo ano. Confira, a seguir, cinco curiosidades envolvendo essa instituição de ensino:

1. Experimentação e inovação constantes

A Universidade Estácio de Sá lançou-se em um ousado plano de expansão em 2007, quando abriu capital na Bolsa de Valores. Na sequência desse movimento, a faculdade associou-se ao grupo de investimentos GP Investments. Esse foi o ponto de decolagem para o ensino a distância e para a consolidação da modalidade EaD como opção de formação a partir de 2009.

As melhorias no ensino a as iniciativas inovadoras ficaram ainda mais evidentes com o passar dos anos. Em 2010, por exemplo, o material didático da universidade passou a ser distribuído aos alunos em um tablet e sem custos adicionais.

2. Os cursos na modalidade Flex

As possibilidades abertas pela evolução da internet e das Tecnologias da Informação e Comunicação permitem que os alunos da Universidade Estácio de Sá optem por estudar de diversas formas.

Os acadêmicos podem escolher estudar na unidade mais próxima de sua cidade ou no conforto de casa, em horários flexíveis. Essa é a proposta dos cursos Flex, em que as aulas são 80% em EaD, com 20% de atividades presenciais, como as aulas em laboratório.

Até mesmo cursos nas áreas de saúde, como o de Nutrição, por exemplo, podem contar com a infraestrutura online e ao mesmo tempo propiciar para que os alunos se dirijam à unidade mais próxima para as aulas presenciais previamente agendadas. Isso é possível em qualquer uma das unidades da Universidade Estácio de Sá, instituição presente nos 26 estados da federação e no Distrito Federal.

3. Método de ensino unificado em todo o País

A rede composta por 90 unidades presenciais da Universidade Estácio de Sá é interconectada pelo mesmo método de ensino e pelas mesmas ferramentas de gestão que a instituição possui em todo o País. Assim, o aluno tem a garantia de ter acesso aos mesmos materiais, à mesma qualidade de aulas – sejam presenciais ou a distância – e à mesma forma de conduzir o processo e estimular a aprendizagem.

Por trás do modelo de ensino inovador da Estácio está uma grande estrutura tecnológica e de gestão iniciada em 2010, a qual mantém todas as universidades integradas pela mesma missão e propósito. Foi essa integração que permitiu a disseminação do material didático gratuito em todo o Brasil.

4. Biblioteca digital e laboratórios de ponta

Os cursos EaD da Universidade Estácio de Sá contam com o suporte de laboratórios de última geração, bibliotecas físicas e um acervo digital distribuídos pelas 90 unidades da faculdade no Brasil. Para equipar a universidade com toda essa infraestrutura, foram investidos R$ 10 milhões em laboratórios específicos, que apresentam velocidade de conexão de internet e biblioteca tradicional e virtual com acervo atualizado.

A infraestrutura oferecida pela Estácio garante o aproveitamento do conteúdo sem contratempos com diferentes mídias ou com a ocorrência de problemas de acessibilidade ou de falta de material para pesquisa.

Na instituição que alcança os 49 anos de experiência na educação como uma das maiores organizações privadas de ensino superior do Brasil em número de alunos matriculados, as medidas referentes à infraestrutura presencial e online partem da crença da Estácio na transformação da sociedade por meio da educação.

5. Olhar voltado para a empregabilidade

Quem estuda na Universidade Estácio de Sá já sabe: a empregabilidade dos alunos é uma preocupação da instituição desde os programas de estágio até à oferta de vagas de emprego. Para atender a essa necessidade de colocação dos estudantes no mercado de trabalho, a faculdade coloca sua rede de contatos com empresas de todo o País à disposição dos alunos em um portal exclusivo sobre empregabilidade.

Os alunos da Estácio têm acesso a vagas de trabalho e estágio e podem receber orientações online sobre preenchimento de currículo e preparação para entrevistas de emprego. Em meio às passagens da história de sucesso e as curiosidades sobre a Universidade Estácio de Sá, verificamos sempre a capacidade de a faculdade conectar-se melhor aos seus alunos, docentes, colaboradores e, assim, conectá-los ao mercado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *