5 dicas para evitar a depressão e a ansiedade durante a faculdade

Excesso de trabalhos e de provas durante a graduação, cobranças e preocupação com o futuro profissional. Esses são apenas alguns dos fatores que podem estar relacionados a casos de depressão e ansiedade durante o período da faculdade. Pesquisas apontam que a ocorrência desses transtornos em acadêmicos é muito mais comum do que se imagina.

A boa notícia é que algumas atitudes podem ajudar a prevenir essas doenças que, dependendo do estágio de seu desenvolvimento, podem comprometer seriamente a saúde e a produtividade dos acadêmicos. Neste post, você irá conferir cinco dicas práticas de como cursar uma graduação evitando esses transtornos mentais.

Por que depressão e ansiedade são transtornos frequentes na faculdade?

Um estudo da Associação Americana de Psicologia, divulgado em 2018, apontou que mais de um terço dos universitários do primeiro ano da faculdade sofrem com distúrbios psicológicos. Os problemas mais comuns são a depressão e o transtorno de ansiedade. Todavia, esse quadro de transtornos está longe de ser uma característica apenas das universidades americanas.

Algumas pesquisas apontam que esses problemas também atingem universitários brasileiros. Um levantamento realizado em todas as regiões do País pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), divulgado em 2016, aponta que 8 em cada 10 estudantes já sentiram ansiedade, desânimo, insônia, sensação de desamparo, desespero e falta de esperança durante a faculdade.

Os acadêmicos de universidades federais também apresentaram sensação de desorientação, confusão mental e tristeza permanente. Pelo menos 10% dos graduandos entrevistados já tiveram dificuldades alimentares, sentiram medo ou pânico durante essa fase de suas vidas.

Esses estudos revelam que depressão e ansiedade são transtornos comuns entre os acadêmicos, mas isso não significa que estes devam ser considerados parte da experiência universitária ou que não precisem ser tratados. Vale lembrar que, em casos mais avançados da depressão, por exemplo, o aluno pode chegar a pensar em suicídio.

A pesquisa da Andifes, inclusive, apontou que pouco mais de 6% dos alunos universitários relataram ter ideias de morte e cerca de 4% dos jovens já tiveram pensamentos suicidas. Caso o aluno apresente sintomas como tristeza e desânimo constantes, mudança de comportamento, isolamento, palpitação ou sensação de pânico, um médico deve ser procurado para dar orientações e tratar a doença.

Como evitar depressão e ansiedade durante o período da faculdade

Para os alunos que vão começar a graduação em breve, que estão nos primeiros períodos ou que ainda não apresentam sintomas de depressão e ansiedade, é possível tomar alguns cuidados para evitar esses distúrbios.

Se você quer prevenir e evitar que a depressão e a ansiedade afetem a sua experiência universitária, confira algumas dicas que poderão ajudar:

1. Organize a sua rotina

Mantenha listas, calendários ou tabelas com as atividades a serem desenvolvidas no seu curso de graduação. Lembre-se de colocar em destaque aquelas tarefas que são prioritárias e têm o prazo mais apertado.

Mas por que fazer isso é tão importante? Isso deve diminuir a ansiedade com os seus compromissos, porque você não terá que pensar e lembrar de todas as suas tarefas. Fazendo listas, atualizando calendários ou tabelas, você terá todas as suas atividades à sua frente, de forma visual, o que ajudará a cumprir os prazos e o fará não se preocupar tanto com isso. Essa técnica vale a curto prazo e para todo o semestre.

O efeito prático dessa estratégia é que você conseguirá manter os trabalhos em dia e não precisará correr contra o tempo — o que é sempre uma grande fonte de estresse e pode acarretar em problemas como depressão e ansiedade.

Outra dica importante para manter a saúde mental nesse período da universidade é antecipar, dentro do possível, a realização de trabalhos e projetos. Não é porque o prazo de uma determinada atividade ou projeto é para o final do semestre, quando acumulam atividades de outras disciplinas e provas, que você não pode começar a desenvolver esse trabalho antes, quando há mais tempo livre e, com isso, já deixar esse material pronto.

2. Mantenha hobbies e lazer

O tempo durante a faculdade costuma ser curto e o acadêmico precisa conciliar diversas atividades. Tanta correria pode gerar um esgotamento físico e mental excessivo e acarretar doenças como depressão e ansiedade. Por isso, é essencial separar algum tempo – nem que sejam alguns minutos do seu dia – para um hobby ou para atividades de lazer.

Nesse sentido, vale cultivar e cuidar das plantas da casa, tocar um pouco de violão, ver um episódio da sua série preferida ou ler um livro que não seja acadêmico. Mas para que este tempo não lhe prejudique nos estudos, será importante estabelecer um período para essa atividade.

É fácil uma pessoa se empolgar com as atividades que lhe dão prazer. Mas se você gastar horas em atividades de lazer, isso vai prejudicar seu rendimento e terá, no fim das contas, um efeito distinto daquele que você desejava. Afinal, se você começar a atrasar as suas entregas e atividades, isso provocará estresse e poderá lhe trazer ainda mais ansiedade.

Com compromissos e lazer na medida certa, a tendência é que você consiga cumprir os seus afazeres sem descuidar da saúde mental. Esses pequenos intervalos com um hobby ajudam a desconectar a mente e focar em outra coisa. Isso pode, inclusive, ajudar no rendimento acadêmico, já que está comprovado que o ser humano tem uma capacidade de concentração limitada e precisa de “momentos de respiro” para voltar a se concentrar.

3. Cuide da saúde

Uma das formas mais eficazes de evitar depressão e ansiedade é manter a saúde em dia. Não descuidar da alimentação e praticar atividades físicas com regularidade ajudam muito nesse processo. Os exercícios, por exemplo, promovem a liberação de endorfina, conhecido como o hormônio do prazer.

Outros efeitos benéficos das atividades físicas é que elas garantem mais disposição e a sensação de autocuidado. Então, separe um tempo na sua rotina para fazer uma atividade física que você curta e busque priorizar uma alimentação saudável. Tenha sempre à mão alimentos como frutas e barras de cereais, por exemplo, para consumir nos intervalos das suas aulas.

4. Mantenha as suas relações sociais

Não é porque você está cheio de trabalhos na faculdade ou na reta final das provas do semestre que não pode separar alguns minutos para mandar uma mensagem para a família ou aquele áudio com as últimas atualizações da sua vida para os amigos. Manter contato com essa rede de apoio será fundamental para você durante o período da sua graduação.

Lembre-se de que essas pessoas, provavelmente, serão as primeiras que poderão ajudá-lo a perceber alguns sintomas de depressão e ansiedade. Isso porque, geralmente, quem tem um desses transtornos demora a se dar conta do problema. Além disso, faça uma força para sair de casa e conviver com pessoas fora do círculo da faculdade. Isso pode ajudar a tirar o foco dos desafios específicos do curso de graduação e a vê-los sob nova perspectiva.

5. Compartilhe o que está sentindo

Isolar-se socialmente é um dos primeiros indícios de que as coisas não vão bem. Esse isolamento pode indicar o início de um processo de depressão e ansiedade. Não tem problema se você não está feliz em um determinado dia, se está preocupado com seu futuro ou angustiado com as provas.

Dividir esses sentimentos e experiências com as pessoas próximas e que o apoiam pode ajudar a diminuir esse fardo. Essas pessoas podem apresentar novos pontos de vista e mostrar o quanto você já avançou na faculdade e na sua jornada.

Então procure as pessoas nas quais você confia para compartilhar o que você está sentindo. Se notar que os sintomas não estão melhorando, que a tristeza e o desânimo permanecem, será importante buscar uma ajuda profissional que poderá fornecer um diagnóstico e prescrever o tratamento mais adequado para o seu caso.

Você conhece alguém que está sofrendo com depressão e ansiedade na faculdade? Então compartilhe este conteúdo com essa pessoa. E se você se interessa pelos assuntos relacionados com cursos de graduação, confira outros conteúdos no nosso blog. Aqui você conhecerá diferentes áreas de atuação e poderá conferir dicas para aumentar a sua produtividade e melhorar o seu desempenho nos estudos. Até a próxima leitura!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *