Os programas de bolsas do governo são alternativas para quem deseja começar um curso superior sem comprometer o seu orçamento. Com opções que chegam a 100% do valor da mensalidade, eles garantem que mais pessoas tenham acesso às universidades e ainda contribuem para o equilíbrio financeiro dos estudantes.

As opções de bolsas de estudos oferecidas pelos programas do Governo Federal contemplam cursos de graduação e de pós, como mestrado e doutorado. Bem como, existem também as alternativas de financiamento em instituições de ensino privadas, permitindo aos estudantes pagarem os valores das mensalidades apenas depois de formados.

Neste artigo você confere quais são os principais programas de bolsas de estudos do governo, as regras para participar de cada um deles e como se inscrever. Além disso, vai conhecer programas de bolsas de pesquisa e outras alternativas para ingressar na faculdade. Vamos lá?

MATRICULE-SE EM UM CURSO DE GRADUAÇÃO DE QUALIDADE DA ESTÁCIO!

Leia também: Bolsas de graduação: 5 formas para se matricular hoje mesmo

Quais são os programas de bolsas do governo? 

O Governo Federal, por meio do Ministério da Educação (MEC), oferece algumas opções de programas de bolsas de estudos para ingressar em universidades. Falaremos aqui sobre três deles: Prouni, Fies e Sisu. 

Todos têm como requisito dos estudantes a realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), mas apresentam algumas particularidades. Confira abaixo as principais informações sobre cada um dos programas de bolsas do governo e veja como se inscrever.

Prouni

O Programa Universidade Para Todos (Prouni) oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em cursos de graduação e sequenciais de formação específica em diversas instituições privadas pelo Brasil. 

É destinado a estudantes brasileiros que não possuem diploma de ensino superior, que tenham participado da edição mais recente do Enem e obtido, pelo menos, uma média de 450 nas notas. Além disso, também é necessário que não tenham zerado a redação.

Ao se inscrever em qualquer uma das modalidades do Prouni, o candidato deve cumprir alguns pré-requisitos. Para bolsas integrais, é preciso comprovar renda bruta familiar mensal de até 1,5 salário mínimo por pessoa. Já para as bolsas parciais (50%), a renda bruta familiar mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa.

Além disso, para ser contemplado por programa de bolsas governo é preciso se enquadrar em pelo menos uma das opções abaixo:

  • Ter sido aluno de escola pública durante todo o ensino médio;
  • Ser pessoa com deficiência (PcD);
  • Ser professor da rede pública de ensino, no exercício do magistério da educação básica, integrante de quadro especial pessoal permanente de instituição pública e concorrer exclusivamente nos cursos de licenciatura. Nesses casos, não há requisitos de renda;
  • Ter feito o ensino médio completo em escola particular, na condição de bolsista integral;
  • Ter estudado o ensino médio parcialmente em escola pública e parcialmente em particular, na condição de bolsista integral.

Como se inscrever no Prouni

O processo seletivo do programa de bolsas de estudo do Prouni é realizado em uma única etapa, exclusivamente na internet, na página oficial. As inscrições são gratuitas e abrem duas vezes por ano.

Para isso, basta ir ao site do Prouni e escolher, em ordem de preferência, até duas opções de instituição de ensino, curso e turno, conforme a disponibilidade de bolsas do perfil do candidato. Durante o prazo de inscrição, é possível alterar as opções e, ao fim, será validada a última inscrição confirmada.

Encerradas as inscrições, o sistema classifica os candidatos de acordo com suas notas no ENEM e indica os próximos passos conforme o desempenho. São realizadas duas chamadas de inscritos pré-selecionados. As vagas remanescentes ficam designadas a inscritos da lista de espera.

FIES

Outro programa gerido pelo Ministério da Educação é o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), que oferece a possibilidade de financiamento estudantil para cursos em instituições privadas.

Com o FIES, os estudantes que não tiverem condições de arcar com os custos de uma mensalidade podem financiar os valores e pagar após a conclusão do curso. 

Na prática, é similar a um financiamento de quando se compra uma casa ou um carro, por exemplo. Mas, a grande vantagem de utilizar o programa de bolsas do governo para financiar o seu curso superior é que as taxas de juros podem chegar a zero. 

Um ponto de atenção para quem optar pelo FIES é que há custos de manutenção do contrato e outras taxas que devem ser pagas durante o período de vigência. 

Como se inscrever no FIES

Para se inscrever no FIES, é necessário ter participado de pelo menos uma edição do Enem realizada a partir de 2010 e obtido média de notas das provas igual ou superior a 450 pontos, além de não ter zerado a redação. Também há um critério de renda, que permite a inscrição de quem tem renda familiar bruta mensal de até 3 salários mínimos por pessoa.

As inscrições para o processo seletivo do FIES podem ser realizadas através do site oficial. No portal, também há outras informações sobre o programa do governo.

Sisu

Diferente de outros programas de bolsas do governo, o Sistema de Seleção Unificada, o Sisu é, na prática, uma forma de ingressar em instituições de ensino públicas. Ou seja, universidades que já garantem o não pagamento de taxas ou mensalidades.

Por meio de uma seleção informatizada e totalmente online, os candidatos se aplicam para vagas disponíveis em todo o Brasil e são selecionados a partir de suas notas do Enem.

Como se inscrever no Sisu

Podem participar do Sisu candidatos que tenham realizado a última edição do Enem e que não tenham zerado a redação. As inscrições são feitas no site oficial, que traz o passo a passo do processo.

Programas de bolsas do governo com foco em pesquisa

Além das opções voltadas a cursos de graduação, há programas de bolsas do governo para quem deseja ingressar na pós-graduação ou desenvolver pesquisas. São iniciativas vinculadas a órgãos do Governo Federal para estimular o desenvolvimento científico do país.

Abaixo, você confere mais informações sobre dois deles: Capes e CNPq.

Programa de bolsas de estudos CAPES

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é uma fundação do Ministério da Educação que oferece bolsas de estudo no Brasil e no exterior. Tem como objetivo desenvolver e estimular a formação de profissionais qualificados e que garantam a autonomia científica do país.

O sistema engloba o programa de bolsas de estudos, auxílios e outros apoios para estudantes, por meio de projetos individuais e grupos de pesquisas. A ideia é que os alunos tenham uma ajuda de custos garantida para comprar materiais e manter seus estudos. 

O programa de bolsas CAPES oferece no Brasil as modalidades de:

  • Mestrado;
  • Doutorado;
  • Pós-doutorado;
  • Professor Visitante Nacional Sênior.

Para fora do país, as opções são mais amplas e englobam graduação plena e sanduíche, capacitação, diferentes categorias de mestrado e doutorado, professor visitante no exterior, entre outros.

Na página oficial da Capes você confere mais informações sobre o programa, notícias e editais. 

Programa de bolsas de estudo CNPq

O outro programa de bolsas de estudos do governo com foco em pesquisa é o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, conhecido pela sigla CNPq.

É vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e oferece uma série de opções de bolsas de pesquisas voltadas a estudantes de ensino médio, graduação, pós-graduação e a pesquisadores. Além disso, esse programa possibilita a pequenas e médias empresas investirem na formação de pessoal qualificado e implementarem projetos de pesquisa e inovação.

As bolsas oferecidas são vinculadas a instituições nacionais e no exterior. Você confere mais informações no site do CNPq.

MATRICULE-SE EM UMA PÓS-GRADUAÇÃO COM A QUALIDADE DA ESTÁCIO

Programas que oferecem bolsas de estudo em universidades

Se você não se encaixa nos critérios do Prouni ou de outros programas de bolsas do governo, pode ainda contar com opções das próprias universidades. São bolsas e financiamentos que contribuem para que as mensalidades não comprometam seu orçamento ou até mesmo que você estude grátis.

Em algumas instituições, como a Estácio, é possível garantir descontos por meio da realização do vestibular ou através da nota do ENEM. Além disso, há um programa de bolsa para faculdade que pode contemplar estudantes de transferência, de segunda graduação ou por meio de indicação.

Os programas de bolsas de estudo de universidades privadas também têm parcerias com fundações de incentivo ao estudo, que incentivam o aprendizado em instituições nacionais e internacionais.

Acompanhe mais informações sobre cursos, bolsas, mercado de trabalho e dicas no blog da Estácio.