Novo Fies: confira as regras e tire dúvidas sobre esse financiamento

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foi criado pelo Ministério da Educação (MEC) em 1999 para facilitar o acesso de estudantes de baixa renda ao ensino superior. A iniciativa do governo federal foi reformulada recentemente, passando a se chamar Novo Fies, e conta agora com duas diferentes modalidades de financiamento, sendo uma delas com juro zero.

Além disso, atualmente é possível participar do programa tendo renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa – antes o limite era de três salários.

Tire as suas principais dúvidas sobre o Novo Fies

Quais são as modalidades de financiamento?

O Novo Fies conta com dois tipos de financiamento: a modalidade Fies continua sendo para estudantes com renda per capita de no máximo três salários mínimos, com taxa zero de juro. O percentual do valor do curso a ser financiado dependerá da renda do acadêmico e do encargo educacional que a instituição de ensino superior cobra.

Já no P-Fies, o candidato deve ter renda familiar mensal de três a cinco salários mínimos por pessoa. Nessa modalidade a taxa efetiva de juros a ser cobrada irá variar de acordo com o banco.

Como conseguir financiamento pelo Novo Fies?

As inscrições para o Novo Fies abrem no início de cada semestre letivo. O cronograma fica disponível no site fies.mec.gov.br. Para se cadastrar é necessário ter participado de alguma edição do Enem a partir de 2010 e ter alcançado pelo menos 450 pontos nas provas, com nota acima de zero na redação. O candidato pode ser graduado ou não graduado.

Como funciona o processo seletivo?

A primeira e principal etapa do processo seletivo do Novo Fies consiste em realizar a inscrição no site do programa. Nesse momento, é preciso escolher a vaga de acordo com o seu perfil.

Durante todo o período de inscrição o candidato consegue acompanhar a nota de corte, sendo possível alterar a opção do curso se deixar de atingir a pontuação necessária. Essa nota é calculada com base no número de vagas disponíveis e na pontuação dos inscritos não graduados.

Ao ser selecionado, será necessário levar a documentação que comprove todas as informações inseridas no momento da inscrição para a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de ensino. Depois, você deve contratar o financiamento no banco, apresentando seus documentos e os do fiador junto à autorização que será emitida pela CPSA.

Quem pode ser meu fiador?

Assim como num contrato de aluguel, o fiador do Novo Fies é alguém que fica responsável por pagar a dívida caso você, por qualquer motivo, não consiga quitá-la. Ele não pode ser seu cônjuge ou companheiro, cidadão estrangeiro ou estudante beneficiário do Programa de Crédito Educativo que não tenha pago o financiamento.

Existem dois tipos de fiança: a convencional, ou seja, com dois fiadores que tenham renda igual ou superior ao dobro da mensalidade paga pelo acadêmico; e a solidária, quando três a cinco beneficiados pelo programa e alunos da mesma instituição de ensino se tornam fiadores de todos os outros do grupo.

O Novo Fies é válido para todos os cursos?

Apenas cursos de graduação presenciais e com nota superior ou igual a três no Sistema de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) participam do Novo Fies. Além disso, não são todas as instituições de ensino superior que aderem ao programa. É possível consultar na página do Fies as graduações disponíveis.

Você ainda tem dúvidas sobre o Novo Fies? Compartilhe nos comentários que a gente pode tentar te ajudar! Acompanhe nossos conteúdos e fique por dentro de todas as novidades sobre financiamentos, vestibulares, cursos de graduação, entre outros temas relacionados ao ensino superior e ao mercado de trabalho.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *