Para quem gosta de estudar idiomas, viajar, pesquisar e adquirir muito conhecimento, uma boa carreira é a da tradução. Por conta disso, nesse post vamos falar em como ser tradutor e dar todos os detalhes desse segmento que atrai muitos profissionais.

Se você estudou letras inglês, espanhol, libras ou alguma outra língua, uma boa opção de carreira é a da tradução. É um mercado que precisa de bons profissionais por conta da crescente demanda. O primeiro passo para que quer entrar nessa área, por exemplo, é escolher um bom curso de graduação da Estácio.

A instituição oferece ao todo 11 cursos de Letras diferentes. Você quer trabalhar como tradutor? Acompanhe!

Leia mais: Quer se tornar um poliglota? Comece fazendo inglês

MATRICULE-SE EM UM CURSO DE GRADUAÇÃO DE QUALIDADE DA ESTÁCIO!

Como é o trabalho do tradutor e intérprete

Quem estuda Letras pode ingressar em diversas profissões, uma delas é a tradução. Existem diversas vantagens em trabalhar com tradução, pois na maioria das vezes, o trabalho é feito de forma autônoma, podendo ter flexibilidade de horário e local de trabalho, precisando apenas de um computador conectado à internet.

Além disso, se você trabalhar com traduções para o português, ainda tem a chance de receber em moeda estrangeira, que estão super valorizadas nesse momento!

Por mais que a sugestão seja cursar a faculdade de Letras, não é obrigatória uma formação específica para trabalhar na área, dessa forma é possível atuar sem diploma.

No entanto, ter uma graduação pode ajudar na carreira de tradutor.

Como ser tradutor: quais habilidades tenho que ter?

Claro que vontade de ser tradutor é um começo, no entanto, muita gente não conhece bem o ramo e acaba se frustrando por não ter o perfil adequado.

Dessa maneira existem algumas características que devem ser levadas em conta se você quer seguir a profissão:

  • Gostar de aprender: muitas vezes para traduzir um texto você vai ter que pesquisar bastante sobre ele. Isso faz com que você esteja em constante aprendizado, muitas vezes sobre temas que não tem nada a ver com sua área;
  • Proatividade: às vezes você vai precisar se adiantar ao cliente quando vê que ele vai precisar de algum recurso para usar sua tradução. Nunca diga não para um cliente, mesmo que você não saiba usar alguma tecnologia, procure quem saiba e entregue o que seu cliente precisa;
  • Rapidez: principalmente se você trabalha para agências, o prazo é sempre apertado e a qualidade não pode ser menor por conta disso. Aprenda a fazer suas traduções de forma rápida e eficiente, assim você consegue mais trabalho;
  • Saiba pesquisar: você muitas vezes vai precisar traduzir palavras que não podem ser utilizadas no sentido literal e vai precisar de muita pesquisa para serem inseridas no contexto.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho na área da tradução está em forte expansão. O crescimento do número de empresas estrangeiras no Brasil abre vários leques para os profissionais.

Cerca de 70% das traduções são em inglês, fazendo com que essa seja não apenas a língua mais abordada mas também a mais requerida. No entanto também tem espaço para outros idiomas como: espanhol, francês e italiano.

Além disso, profissionais de tradução estão em falta no Brasil, mas a concorrência é grande nos grandes centros.

Salário

Muitos profissionais que trabalham com tradução são freelancers, ou seja, trabalham de forma autônoma, por conta própria. Dessa forma, não recebem salário e sim, ganham por demanda.

Existe uma tabela do SINTRA – Sindicado Nacional dos Tradutores, que indica os valores por palavra ou lauda para tradução, versão, interpretação presencial ou remota, entre outros.

No entanto, a tradutora Juliana Arthuso, do blog Virando Gringa, afirma que esses valores estão mais para uma noção de quanto um tradutor pode chegar a cobrar um dia, mas estão muito acima do que eles realmente cobram.

Leia também: Faculdade de Letras: quais as possibilidades depois da formatura?

Como ser tradutor: 5 dicas para começar a carreira

Se você está começando agora na profissão, algumas dessas dicas podem te ajudar:

1. Crie seu portfólio

Primeiramente, você precisa começar a traduzir, nem que seja apenas por diversão. Escreva um blog bilíngue sobre assuntos que você conhece, dessa maneira você já treina e cria acervo.

Criar seu portfólio é a maneira mais importante de divulgar seu trabalho e mostrar a sua qualidade de tradução.

2. Peça ajuda

Converse com outros tradutores para saber sobre a experiência deles. Você vai encontrar esses profissionais em grupos nas redes sociais, nos eventos e palestras na áreas, em congressos ou no LinkedIn.

Muitas vezes, o contato também pode gerar trabalho. Quem trabalha sozinho como freelancer pode não dar conta da demanda de traduções e precisar de parceiros para terceirizar. Essa pode ser a sua chance de começar a traduzir!

3. Utilize ferramentas de marketing para ser encontrado

Se você nunca ouviu falar em SEO (Search Engine Optimization) talvez seja a hora de aprender.

SEO nada mais é que uma ferramenta de marketing que visa posicionar uma página nos primeiros resultados de mecanismos de busca online, como o Google. Dessa maneira você vai poder produzir seu conteúdo de forma a aparecer nos buscadores.

4. Aceite trabalhos

Talvez no começo você pegue trabalhos que não compensem no quesito remuneração. No entanto, além de construírem seu portfólio, você vai também adquirir experiência e ganhar nome no mercado.

Isso vale até para aquele amigo que te pediu para traduzir o currículo dele ou o Abstract de uma tese. Faça! Para começo de carreira é uma boa porta de entrada, já que as pessoas acabam indicando o seu serviço.

5. Não minta

Não invente trabalhos, nem diga que traduziu mais do que o que você realmente fez. Dizer que tem mais experiência do que você tem só vai aumentar as expectativas do seu cliente, que pode se decepcionar pela sua falta de habilidade.

Fale a verdade e cobre o preço proporcional ao seu conhecimento. Pode ter certeza que uma hora a experiência vem e, com ela, maiores ganhos!

Como escolher um bom curso de letras?

Se você pensa em fazer uma formação em letras para, quem sabe, trabalhar com tradutor, deve levar em consideração alguns aspectos:

  • Credenciamento no MEC: é fundamental que o curso seja credenciado junto ao Ministério da Educação para que seu diploma seja válido no Brasil. Dessa maneira, a instituição que você escolher precisa ser não só reconhecida, como também autorizada pelo MEC;
  • Nota MEC: e não é só reconhecimento que o MEC fornece, ele também dá uma nota de qualidade do curso. Essa nota serve para, principalmente, conferir se o curso atinge uma série de requisitos exigidos;
  • Infraestrutura: sendo o curso à distância ou presencial, é importante que a instituição tenha unidades de ensino adequadas às necessidades dos alunos. Desse modo, deve ter bibliotecas, computadores com a cesso à internet, entre outros recursos;
  • Qualificação dos professores: verifique se os professores são qualificados, quais seus títulos e publicações. Além disso, é bom saber se são dedicados, interessados, e, por que não, inspiradores,
  • Opinião de quem estudou: verifique a reputação do curso de letras da instituição, pergunte para ex-alunos como é a formação e se vale a pena escolher aquele curso. Pergunte também sobre os professores, as disciplinas e a infraestrutura da universidade.

Cursos de Letras da Estácio

A Estácio tem 11 cursos diferentes de Letras para você escolher: Língua Portuguesa (Libras), Língua Portuguesa (Licenciatura), Língua Portuguesa (Bacharelado), Espanhol, Inglês, Língua Portuguesa (Bacharelado), Espanhol (Formação Pedagógica), Espanhol (Segunda Licenciatura), Inglês (Formação Pedagógica) e Inglês (Segunda Licenciatura).

Escolha o que mais tem a ver com você e com seus planos de se tornar um tradutor! Alguns dos cursos da Estácio oferecem as disciplinas de Oficina de Tradução e Fundamentos da Tradução, já preparando o futuro profissional para a área.

UTILIZE SUA NOTA DO ENEM PARA ENTRAR EM UM CURSO DA ESTÁCIO!

Leia também: 5 benefícios de participar de um intercâmbio em inglês

Como ser tradutor: para você, as dicas foram boas?

E você, o que acha da carreira de tradutor? Você considera que seu perfil seja adequado para trabalhar como autônomo fazendo traduções? Conta pra gente!

E continue acompanhando o nosso blog para mais dicas como essas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui