Aumento da temperatura global, extinção de espécies, poluição. Não há dúvidas: frente a esses desafios, é necessário existirem profissionais focados em preservar os recursos naturais e, consequentemente, proteger a saúde do ser humano. Quem busca trabalhar com esse foco pode optar pelo curso de Engenharia Ambiental e Sanitária.

Essa formação ensina a projetar, construir e gerenciar sistemas para tratamento de esgoto, coleta e distribuição de água e reciclagem de resíduos, entre outras atividades. Com a base de conhecimento que os estudantes recebem nesse curso de graduação, esses engenheiros também estão aptos a fazer a avaliação da poluição do ar, do solo e da água. Essa contaminação pode ser causada pela atuação de indústrias e pela construção de moradias em áreas impróprias para isso. Você tem interesse em atuar nessa área? Então confira um pouco mais sobre essa formação e o que se aprende no curso de Engenharia Ambiental e Sanitária.

ESTUDE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA NA ESTÁCIO. MATRÍCULAS ABERTAS.

Mercado de trabalho para quem faz Engenharia Ambiental e Sanitária

O engenheiro ambiental e sanitarista tem um grande leque de opções para direcionar a sua carreira. Alguns dos principais campos em que o profissional formado em Engenharia Ambiental e Sanitária pode atuar são os seguintes:

  • Bioprocessos e biotecnologia;
  • Controle de poluição;
  • Geoprocessamento;
  • Planejamento e gestão ambiental;
  • Recuperação de áreas;
  • Recursos hídricos;
  • Saneamento.

Além de ser um curso que abre diversas oportunidades de atuação, as remunerações para os profissionais dessa área também são interessantes. De acordo com levantamento do portal salario.com.br, a média salarial de um engenheiro ambiental é de R$ 6,4 mil para uma jornada de 42 horas semanais.

Já a remuneração média do engenheiro sanitarista, segundo a mesma fonte, é de R$ 7,5 mil para 41 horas por semana. Os cargos que os profissionais formados em Engenharia Ambiental e Sanitária costumam ocupar são: analista ambiental, consultor ambiental, engenheiro sanitarista e engenheiro hidráulico.

Entre as oportunidades oferecidas pelo mercado, existem vagas em empreendimentos que precisam implementar ações relacionadas à sustentabilidade, em organizações não governamentais e em órgãos públicos. A indústria petrolífera, as empresas de energia e as grandes construtoras também recrutam engenheiros ambientais e sanitários.

Quais disciplinas compõem a grade curricular de Engenharia Ambiental e Sanitária?

Com diversas oportunidades de trabalho no mercado, possibilidade de ascensão profissional e de receber bons salários, o curso de Engenharia Ambiental e Sanitária é um dos mais interessantes para quem gosta do campo da Engenharia.

Se esse é o seu caso, invista alguns minutos do seu tempo para conhecer um pouco mais do que se aprende na graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária da instituição de ensino superior Estácio. Por ser uma graduação multidisciplinar, essa formação apresenta matérias de Exatas, Ciências Biológicas e Ciências Sociais.

Confira algumas das principais disciplinas que fazem parte da grade curricular dessa graduação da Estácio:

1. Engenharia Sustentável

A Engenharia Sustentável é o ramo da área de Engenharia Ambiental e Sanitária que se preocupa com a questão ambiental na concepção e na implementação dos projetos, zelando pelos recursos naturais e buscando a sua inclusão nos processos que envolvem um determinado empreendimento ou obra.

Por ter essa característica, a Engenharia Ambiental é muito importante para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pelos países membros na 70ª Assembleia Geral das Nações Unidas, realizada em 2015 no Rio de Janeiro (RJ).

No pilar ambiental, que faz parte da formação da Engenharia Sustentável, são considerados os seguintes temas:

  • Disponibilidade de água e saneamento;
  • Padrão de produção e consumo sustentável;
  • Combate a mudanças climáticas e seus impactos;
  • Uso sustentável dos recursos marinhos;
  • Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres;
  • Gerir os recursos florestais;
  • Combater a desertificação;
  • Deter a perda da biodiversidade.

2. Análise de Dados

Mais do que ter sistemas para coletar dados, é preciso saber analisá-los, ou seja, transformá-los em informação estratégica. Com base na interpretação dos números, é possível prever cenários e tomar as melhores decisões.

Para se fazer uma análise de dados, então, é preciso ter em mente qual o problema a ser resolvido e, a partir dos números, identificar padrões e tendências nas situações avaliadas.

A disciplina de Análise de Dados dentro do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária fornece conhecimentos de utilização de softwares e de estatística para que o acadêmico consiga entender quais mensagens passam os conjuntos de dados com os quais ele vai lidar no dia a dia do seu trabalho.

3. Economia Ambiental

A Economia Ambiental considera os recursos disponíveis para satisfazer os desejos humanos ao mesmo tempo em que busca evitar desperdícios nesse processo. Nessa disciplina se estudam, por exemplo, aspectos como a valoração ambiental, que estima os valores sociais dos recursos ambientais para obter um indicador de prioridade.

Esses valores são estimados a partir dos seguintes critérios:

  • Valor de uso direto (VUD): é o valor atribuído aos recursos ambientais de consumo direto;
  • Valor de uso indireto (VUI): atribuído aos recursos ambientais que influenciam outros ecossistemas;
  • Valor de opção (VO): atribuído à preservação dos recursos ameaçados;
  • Valor de não uso ou valor de existência (VE): atribuído ao direito de existência de outras espécies e riquezas naturais, mesmo que elas não influenciem diretamente a vida humana.

3. Pedologia Ambiental

Pedologia é a ciência do solo. Ela é estudada desde as civilizações antigas para objetivos específicos como a agricultura, por exemplo. Essa é uma disciplina considerada essencial na Engenharia Ambiental e Sanitária, visto que, a partir das medições do solo, e conhecendo as suas propriedades, é possível gerenciar o ambiente.

Para se ter uma ideia da importância desse manejo, algumas civilizações antigas foram extintas por não conseguirem cuidar desse recurso natural. Os conhecimentos de pedologia aprendidos na faculdade de Engenharia Ambiental e Sanitária são usados na prática pelos engenheiros em trabalhos como o estudo de drenagens urbanas e o dimensionamento de sumidouros (buracos no solo por onde a água é escoada no sistema de fossa séptica).

4. Botânica

O setor de Ciências Biológicas está entre as áreas abraçadas pelo curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, que, como comentamos antes, reúne conhecimentos dos mais diferentes segmentos. A botânica é o ramo da biologia que estuda a vida das plantas e das algas — desde a sua fisiologia até a sua distribuição.

As plantas são fundamentais para a sobrevivência de diversos seres vivos, sendo também vitais para a respiração e a alimentação de muitas espécies. Por isso é tão necessário estudar suas particularidades e saber como preservá-las, sendo esta última uma função também do engenheiro ambiental e sanitarista.

5. Saneamento Básico e Ambiental

O objetivo do saneamento ambiental é garantir a salubridade ambiental, ou seja, que toda a sociedade tenha acesso ao abastecimento de água potável, à coleta de resíduos e ao controle de doenças transmissíveis.

O saneamento ambiental, contudo, não diz respeito aos serviços em si, mas a um ambiente que consiga prevenir as doenças transmitidas pelo meio ambiente e promover boas condições de saúde para a população urbana e rural.

Já o saneamento básico refere-se ao abastecimento de água potável nas regiões. Ele também está relacionado com a coleta e o tratamento de esgoto, com a limpeza urbana, com o controle de pragas, entre outros serviços relacionados.

6. Topografia

A topografia é a disciplina que estuda as características da superfície dos territórios, como acidentes geográficos e tipos de relevo. Ela se relaciona com a cartografia, contribuindo para especificações mais precisas das áreas por meio de mapas.

Ter conhecimentos de topografia é algo imprescindível para fazer projetos de engenharia e o acompanhamento de obras. Para isso, alguns instrumentos são utilizados nos estudos topográficos, como o teodolito, que mede ângulos verticais e horizontais, a estação total, instrumento eletrônico usado para medir ângulos e distâncias, e o GPS, que fornece a posição geográfica para o engenheiro responsável pelo projeto.

7. Hidrologia

A ocorrência, a circulação e a distribuição da água que existe no planeta Terra, bem como suas propriedades químicas e físicas e sua relação com o meio ambiente são temas da disciplina e da área da hidrologia.

Como a população mundial continua crescendo, o consumo de água também está aumentando e é necessário planejar de forma sustentável a utilização desse recurso. Por isso, a Hidrologia é uma das disciplinas que compõem a grade curricular obrigatória do estudante de Engenharia Ambiental e Sanitária.

8. Geoprocessamento ambiental

O geoprocessamento ocorre quando dados geográficos são processados por meio de programas de computadores. Para isso, são utilizados insumos como plantas, mapas e cartas topográficas.

Com esses dados, o geoprocessamento tem o intuito de conseguir informações ambientais apuradas, analisando todas as características da geografia do local que está sendo avaliado e/ou estudado. Assim, com o geoprocessamento ambiental é possível ter uma noção mais clara de como um determinado ambiente realmente é, identificando desde os animais até as plantas e tudo o que influencia o meio naquela área.

Outras disciplinas que fazem parte do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária

Além das disciplinas citadas, o currículo da graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária da Estácio traz matérias como:

  • Microbiologia Ambiental e Sanitária;
  • Mecânica dos Sólidos;
  • Projeto Assistido por Computador;
  • Eletricidade Aplicada;
  • Análise Matemática para Engenharia;
  • Fundamentos de Economia Ambiental;
  • Poluição Atmosférica e Sonora;
  • Sistemas Hidráulicos Sanitários;
  • Tratamento de Efluentes Domiciliares e Industriais;
  • Auditoria e Perícia Aplicada à Engenharia Ambiental;
  • Estudos Avançados de Impactos Ambientais;
  • Planejamento Energético e Recursos Renováveis;
  • Toxicologia Ambiental e Sanitária;
  • Drenagem Urbana;
  • Gerenciamento de Resíduos Sólidos;
  • Legislação e Gerenciamento de Riscos Ambientais.

Você se identificou com esse curso? Então não perca mais tempo e invista agora mesmo na sua qualificação profissional. Aproveite para fazer a sua matrícula na graduação de Engenharia Ambiental e Sanitária da Estácio.

Agora, se após ler este conteúdo você acha que ainda precisa procurar mais sobre outros cursos superiores, aproveite para navegar pelo nosso blog. Aqui você vai encontrar conteúdos falando de graduações que podem interessá-lo, como Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo e Administração.

Disponibilizamos também conteúdos que buscam ajudar quem está no processo de escolher qual curso fazer, abordando temas como teste vocacional e profissões que combinam com diferentes perfis.

Aproveite para conhecer o campus da Estácio mais próximo a você, dar uma olhada na infraestrutura da faculdade e tirar as suas dúvidas! Esperamos a sua visita!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui