A Entomologia Forense é um segmento que auxilia na investigação de procedimentos periciais. Essa área utiliza insetos necrófagos como fonte de estudo para a resolução de crimes. Com isso, os cientistas e investigadores utilizam essa técnica para determinar elementos importantes no decorrer da investigação.

Já parou para pensar como eles sabem a hora da morte, se o corpo foi movido para outro local ou se foi manipulado? Então, uma das formas de entender todos esses detalhes é observando a presença da fauna no próprio organismo. Afinal, um corpo em decomposição pode ser local de abrigo, comida e reprodução de várias espécies de insetos.

Bem interessante, não é? A Entomologia Forense é uma vertente bem específica e importante no processo criminal. Por isso, é necessário entender como ela funciona em sua essência. Além disso, qual curso ou graduação fazer para se tornar um investigador desse tipo? Confira tudo a seguir!

MATRICULE-SE EM UM CURSO DE GRADUAÇÃO DE QUALIDADE DA ESTÁCIO!

Saiba mais: Tabela Periódica: entenda uma das principais ferramentas da Química

O que é Entomologia Forense e qual sua importância?

Vamos entender a partir de um exemplo. Ocorreu um homicídio e o corpo de uma pessoa foi encontrado enterrado em um campo, já em processo de decomposição. A polícia foi acionada e iniciou a investigação, observando o estado do cadáver.

Para determinar detalhes como data da morte, intervalo pós morte (IPM), se o corpo foi movido e outras circunstâncias relacionadas ao fato, o médico forense é acionado. A partir de técnicas da Entomologia Forense ele consegue responder tais questões, analisando a presença de insetos no corpo.

Tais animais utilizam o cadáver como alimento, local de reprodução e depositam ovos. Cada espécie possui um ciclo e aparece em estágios diferentes da decomposição. Com isso, a partir de estudos e análises, os cientistas determinam o IPM e têm uma ideia do local da morte.

Sim, acredite, é possível saber se um corpo foi movido de um lugar para outro, a partir da presença de determinados insetos. Um exemplo bem claro são animais da família Calliphoridae. Essa é uma espécie urbana, encontrada em cidades e grandes centros. Se ela aparece num cadáver encontrado na zona rural, os médicos supõem que a vítima não foi morta naquele local.

História

A Entomologia Forense está presente há muito tempo. O primeiro caso documentado aparece num manual de Medicina Legal Chinês, do Século XIII. Um lavrador foi morto por uma foice e para resolver o caso todos os lavradores da região colocaram suas foices no solo, ao ar livre.

Com isso, o sangue ainda presente na arma do crime atraiu moscas. Assim, chegou-se à conclusão do autor e da foice utilizada no crime.

No Brasil, a entomologia ganha destaque em 1908, com análises de cientistas como Edgard Roquette Pinto e Oscar Freire. Os autores foram responsáveis por registrarem diversas espécies de insetos necrófagos, principalmente das regiões da Mata Atlântica.

Aplicações da Entomologia Forense

Apesar de a investigação forense utilizar muito a Entomologia, ela aparece em outras situações do nosso dia a dia. Por exemplo, quando uma grande quantidade de insetos aparece em imóveis, como baratas e cupins. Nesse caso, o entomologista entra em cena.

Outra situação é em relação à produtos estocados. É preciso estudo constante em depósitos, armazéns ou embalagens, especialmente aquelas com alimentos. Além disso, acontece de tentarem colocar insetos em comidas de restaurante, por exemplo. Com a investigação do entomologista, evitam-se fraudes.

Mercado de trabalho

Como deu de perceber, esse profissional é muito requisitado em equipes de investigação forense. Por isso, o maior mercado está em órgãos públicos, como Policia Miliar, Civil ou Federal. Assim, é preciso fazer concurso público e provas de aptidão física e psicológica.

Você também pode conseguir emprego em organizações do segmento alimentício. Como visto acima, o entomologista possui grande importância nessa área.

Entomologia Forense: o que estudar para atuar na área?

Para se tornar entomologista forense, é preciso ser graduado em Ciências Biológicas. No curso o aluno recebe a base para entender cada espécie de inseto e sua relação com o corpo em decomposição. É aqui que começa o caminho para a Entomologia Forense.

Com isso, é necessário encontrar um bom curso, aprovado pelo Ministério da Educação (MEC), como é o caso das Ciências Biológicas da Estácio. Lá, você conta com professores especialistas, com plena capacidade de ensinar tudo sobre a prática.

Além do mais, provavelmente será preciso realizar uma pós-graduação ou tecnólogo em Investigação Forense e Perícia Criminal. A boa notícia é que essas opções também estão disponíveis na Estácio, no formato presencial e a distância (EAD).

UTILIZE SUA NOTA DO ENEM PARA ENTRAR EM UM CURSO DA ESTÁCIO!

Leia também: Gestão Comercial: conheça mais sobre essa graduação 

Decidiu se vai seguir carreira?

Se você gosta da área e sempre quis ajudar nesse tipo de investigação, já sabe o caminho para chegar lá. Apesar disso, existem outras formas de seguir na Entomologia Forense, a partir de cursos livres e especializações mais direcionadas, seja lato ou stricto sensu.

Gostou do texto? Continue lendo as produções do nosso blog e se mantenha bem informado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui