Considerada uma das especialidades em maior expansão no Brasil, a pós-graduação em Medicina do Trabalho atrai muitos profissionais que buscam atuar no cuidado e na prevenção de doenças trabalhistas.

A especialização pode ser feita por médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem, e é exigida conforme a Norma Regulamentadora n. 4 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) para quem deseja atuar nesse segmento da área da saúde.

Para médicos e enfermeiros é preciso cursar uma pós-graduação. Já os auxiliares de enfermagem devem buscar por um certificado de qualificação em Medicina do Trabalho.

Tanto a pós-graduação quanto os certificados de qualificação só podem ser emitidos por instituições de ensino que oferecem os cursos de graduação em Enfermagem e Medicina. 

Além disso, é preciso que essas formações sejam reconhecidas pela Comissão Nacional de Residência Médica, órgão ligado ao Ministério da Educação.

Se você tem interesse em realizar uma pós-graduação em Medicina do Trabalho, acompanhe este artigo e saiba como são a formação, as principais disciplinas da área e o que esperar do mercado de trabalho. Confira!

Como é a pós em Medicina do Trabalho

A Universidade Estácio de Sá oferece o curso de pós-graduação em Medicina do Trabalho. Ele tem duração média de 24 meses, na modalidade presencial. 

As aulas acontecem aos sábados, a cada 15 dias, na cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, das 8h às 18h.

Essa pós-graduação tem como objetivo especializar médicos para o exercício competente da Medicina do Trabalho. Uma de suas premissas é assegurar a proteção dos trabalhadores contra os riscos ocupacionais que prejudiquem sua saúde e que possam resultar de seu trabalho ou das condições em que este se realiza.

O curso prepara os profissionais para organizar, administrar e participar de serviços de Medicina do Trabalho, além, é claro, de planejar e executar o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO).

A especialização também habilita os estudantes a planejar e executar medidas de saúde preventiva ocupacional e de proteção ambiental em áreas industriais, além de capacitá-los para participar do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA).

O público-alvo dessa especialização é formado por profissionais interessados em atuar na área da medicina do trabalho, em sua maioria médicos.

Principais disciplinas da especialização em Medicina do Trabalho

Nestes 24 meses de curso, os alunos da especialização em Medicina do Trabalho da Estácio de Sá devem completar uma grade curricular que tem entre as principais disciplinas:

  • Aspectos essenciais;
  • Bioestatística;
  • Legislação e Perícias;
  • Atividades Práticas Supervisionadas;
  • Engenharia de Segurança;
  • Fisiologia do Trabalho e Ergonomia;
  • Metodologia da Pesquisa;
  • Medicina Preventiva Ocupacional e Ambiental;
  • Patologias Ocupacionais;
  • Psicologia;
  • Organização e Administração do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho – SESMT;
  • Orientação de carreira com coaching;
  • Toxicologia Ocupacional;
  • Trabalho de Conclusão de Curso.

Além das disciplinas básicas listadas acima, os alunos da pós-graduação em Medicina do Trabalho ainda podem cursar disciplinas optativas que não estão compreendidas na carga horária mínima e no valor total do curso.

Como ingressar na pós-graduação

É pré-requisito básico para ingressar na pós-graduação em Medicina do Trabalho o diploma de curso superior em Medicina, além de inscrição no Conselho Regional de Medicina.

Com esses requisitos, basta o aluno acessar a página de pós-graduação da Estácio de Sá e buscar pela especialização desejada, lembrando de buscar pela cidade de Ribeirão Preto, onde o curso é ministrado.

Como é o mercado de trabalho

De acordo com uma pesquisa realizada pela Catho Educação em janeiro de 2018, uma especialização no currículo de qualquer profissional pode proporcionar um aumento salarial de até 53,7%.

E é claro que para os médicos especialistas em Medicina do Trabalho não seria diferente. 

É importante ressaltar que, além do salário, uma pós-graduação influencia diretamente no aumento das oportunidades de emprego e também no crescimento profissional.

O médico especialista em Medicina do Trabalho está apto a trabalhar em:

  • empresas;
  • indústrias;
  • instituições privadas;
  • perícia médica da previdência social;
  • clínicas especializadas em medicina do trabalho;
  • sistema judiciário;
  • rede pública de serviços de saúde;
  • assessoria sindical em saúde do trabalhador;
  • universidades (podendo atuar como docente – formação e capacitação profissional – ou nas pesquisas na área de Saúde e Trabalho);
  • consultoria privada no campo da Saúde e Segurança no Trabalho; e outros.

Nesse mercado de trabalho, o profissional de Medicina do Trabalho deverá planejar e executar o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, além de atuar na implantação de medidas de saúde preventiva ocupacional e de proteção ambiental em áreas industriais.

É necessário que o médico do Trabalho conheça de forma aprofundada como funciona a administração das empresas e entenda, em detalhes, as funções e atividades dos funcionários. 

Tudo isso se faz necessário para que esse profissional consiga propor medidas de prevenção e saber quando alertar sobre situações de adoecimento físico ou mental.

Como citado na abertura deste artigo, o mercado de trabalho para profissionais especialistas em Medicina do Trabalho está aquecido. 

E conforme pesquisa do site Vagas.com, o salário médio desse profissional gira em torno de R$ 11.098,00. O salário inicial é de R$8.539,00, podendo chegar a R$15.165,00.

Por que fazer uma especialização na Estácio de Sá?

A Universidade Estácio de Sá possui quase cinco décadas e mais de 500 mil alunos. A instituição de ensino é uma das maiores e pertence a um dos mais respeitados grupos do setor educacional do Brasil.

Presente em todos os estados brasileiros, a Estácio tem seus cursos reconhecidos pelo MEC e o melhor: com elevados conceitos de qualidade.

Os cursos de pós-graduação da instituição são considerados os maiores do Brasil, afinal as especializações têm mais de 80 mil alunos, que destacam a qualidade da formação oferecida.

Um dos diferenciais da especialização oferecida pela Universidade Estácio de Sá é o processo de coaching e orientação de carreira pelo qual passam os alunos da pós-graduação. Trata-se de um processo essencial para o desenvolvimento desses profissionais.

Para estudar na melhor instituição do país, na categoria Educação, e na maior pós-graduação do país, basta se inscrever na graduação ou especialização de seu interesse. 

Não perca mais tempo e conquiste o seu diploma com a qualidade Estácio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui