Nunca a tecnologia transformou tanto a economia, as relações sociais, as formas de aprender, e também o mercado de trabalho. Ferramentas para desenvolvimento de softwares e aplicativos com os mais variados objetivos viraram um paradigma em qualquer tipo de segmento. E, sem dúvida, o engenheiro de software é um dos grandes responsáveis pelo avanço. Em paralelo, deve buscar constante capacitação, como uma pós em Engenharia de Software.

Para você ter uma ideia do tamanho do mercado de trabalho para esse profissional, há mais de 16 mil empresas do segmento de TI em atuação no Brasil. A informação é da Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes). Nessa cadeira de produção, há espaço para desenvolvimento, fabricação, comercialização e distribuição de softwares e hardwares.

Além disso, o engenheiro de software também pode atuar com prestação de serviços em informática. Na prática, esse profissional está habilitado a desenhar e testar novos programas e aplicativos. E, nesse mercado de tecnologia, a necessidade de capacitação é constante. Por essa razão, a pós em Engenharia de Software é uma opção perfeita para quem quer se destacar ainda mais no segmento.

A Estácio oferece o curso presencial em várias cidades do Brasil. Confira mais detalhes sobre essa área e sobre a pós em Engenharia de Software nesse post!

MATRICULE-SE NA PÓS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE DA ESTÁCIO

O que faz um engenheiro de software

É comum dúvidas em torno do que fazem os engenheiros de softwares em relação ao cientista da computação e do engenheiro da computação. Na verdade, o cientista da computação atua mais na parte teórica da sua área, que envolve matemática e algoritmos que envolvem computadores. Já o engenheiro de computação é especialista na área de hardware, da “máquina” em si.

Por outro lado, o engenheiro de software é responsável pelo desenvolvimento de programas, suas atualizações, processos, desempenho e produtividade. Estamos falando aí de um leque imenso de opções de programas em diversas áreas, como a educacional, de saúde, construção civil, automotiva, de gastronomia, enfim.

Além disso, a popularização dos smartphones e tablets criaram um mercado em potencial para os engenheiros de softwares. Na verdade, são profissionais tão requisitados que muitas vezes sobram vagas nas empresas do ramo, tamanha a dificuldade de encontrar pessoas com esse perfil e com a devida capacitação.

É bastante comum, também, empresas e organizações oferecem serviços e produtos por meio de aplicativos. Em outras palavras, atualmente, todo mundo quer um aplicativo para chamar de seu. Nesse caso, o fenômeno favorece quem é profissional da área.

Leia também: Sistemas para internet: conheça o curso e as oportunidades de trabalho

Mercado de trabalho para quem tem pós em Engenharia de Software

O mercado de desenvolvimento de softwares movimenta quase 30 bilhões de dólares apenas no Brasil. De acordo com informações da Associação Brasileira de Empresas de Software (ABES), por conta disso, o Brasil ocupa a nona posição no ranking dos maiores mercados mundiais de software. Ou seja, só fica atrás de grandes potências como Estados Unidos, China, Japão, Alemanha e França, por exemplo.

Na América Latina, por exemplo, o Brasil está em primeiro lugar. Portanto, ser engenheiro de software é uma profissão do futuro.

O que é possível fazer:

  • Desenvolvimento: criação de softwares e aplicativos para qualquer tipo de dispositivo, como celulares, tablets, computadores convencionais, entre outras.
  • Gestão: o engenheiro de software também está apto a ser líder em projetos de empresas que envolvem computação e software, além de gerenciamento de negócios na área

Pós em Engenharia de Software da Estácio

A pós em Engenharia de Software da Estácio é oferecida na modalidade presencial, com uma carga horária total de de 361h. É ofertada em várias unidades da Estácio, como em Maceió, Fortaleza, Brasília, Campo Grande, Belém, João Pessoa, Recife, Teresina, Rio de Janeiro e Florianópolis.

Assim como a graduação na área, a pós em Engenharia de Software aprofunda vários conhecimentos e fundamentos da computação. Portanto, estamos falando de disciplinas que envolvem matemática, gestão da produção, conceitos e arquitetura de programas. Há matérias específicas que abordam banco de dados, métricas e qualidade de software, além de arquitetura orientada a serviços.

É um curso voltado para profissionais diplomados em Tecnologia em Processamento de Dados, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia da Computação, Licenciatura em Computação, Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Tecnólogo em Jogos Digitais, Tecnólogo em Gestão de TI, Tecnólogo em Redes de Computadores. Além de outros cursos afins à informática, reconhecidos pelo Ministério da Educação.

Confira um resumo das disciplinas do curso:

  • Modelagem de Dados
  • Projeto e Otimização de Banco de Dados
  • Arquitetura da Informação e User Experience
  • Gestão Estratégica de TI
  • Modelo de Maturidade de Software
  • Gerenciamento de Projetos de Software
  • Métricas de Software
  • Qualidade de Software
  • Linguagem de Modelagem Unificada (UML)
  • Análise Orientada a Objetos e Projeto Arquitetural
  • Projeto e Implementação Orientados a Objeto
  • Arquitetura Orientada a Serviços – SOA e Web Services
  • Tópicos Avançados em Engenharia de Software
  • TCC

Leia também: Como o business intelligence pode aumentar minha eficiência?

Alguns motivos para investir em uma pós em Engenharia de Software

Abaixo vamos listar alguns argumentos para você decidir em investir na pós-graduação em Engenharia de Software para incrementar seu futuro profissional:

É uma carreira que está em alta

A Engenharia de Software faz parte das carreiras do campo da tecnologia, que estão em franco crescimento. Há uma demanda latente de empresas e organizações por desenvolvimento de softwares comerciais, por exemplo, ou de serviço à população. Outra área promissora é a criação de plataformas para otimizar atividades de comunicação e marketing, além de games.

Bons salários

Os salários pagos ao engenheiro de software é bastante atrativo, ainda mais para quem busca capacitação e especialização constante. De acordo com a Catho, a média de remuneração desses profissionais no Brasil é de R$ 4.688,06.

Mercado da inovação é bastante atrativo

A onda de surgimento e crescimento de startups no Brasil são uma grande oportunidade de atuação de engenheiro de softwares. Há centenas delas especializadas em software em funcionamento no país. A maioria desenvolve apps inovadores em diversas áreas. É comum, inclusive, serem adquiridas por grandes investidores, por conta do sucesso dos negócios.

E aí, vamos fazer a pós em Engenharia de Software?

Como você pode perceber, a área de Engenharia de Software é bastante atrativa para os profissionais da área. Além disso, paga-se muito bem no mercado de trabalho. E ainda sobram vagas. Ainda mais para quem busca capacitação e atualização constante.

Por conta disso, o melhor caminho é buscar a pós em Engenharia de Software da Estácio.

Acompanhe mais informações sobre cursos, bolsas, mercado de trabalho e dicas no blog da Estácio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui