O profissional médico responsável por cuidar da saúde da mulher como um todo é o Ginecologista. Geralmente, esses profissionais são certificados também como Obstetras e atuam na manutenção da saúde do público feminino a partir da puberdade, até o fim da vida da pessoa.

A área é uma das mais populares entre os médicos, isso porque sempre existe uma grande demanda. Apesar disso, se tornar Ginecologista não é um caminho simples. Primeiro é necessário se formar em Medicina e realizar especializações depois.

Ainda assim, é uma área gratificante e muito interessante. Afinal, você acompanha a vida de diversas mulheres e atua ativamente para ajudá-las a entenderem mais sobre os seus corpos e evitar ou tratar doenças. Quer ser Ginecologista? Vem entender mais sobre a área.

MATRICULE-SE EM UM CURSO DE GRADUAÇÃO DE QUALIDADE DA ESTÁCIO!

Saiba mais: Áreas da Medicina: veja quais são as mais promissoras

Ginecologista: o que faz?

Como comentamos, o ginecologista é responsável pela saúde da mulher como um todo. Isso significa que o profissional faz o acompanhamento da paciente desde o início da puberdade, focando no órgão genital feminino, incluindo vagina, trompas, útero, ovários e mamas.

O Ginecologista faz exames de prevenção e tratamento de doenças, indo desde IST’s até Câncer do Colo do Útero. Mas a sua atuação não para por aí. Se escolher a especialidade, poderá tratar sobre questões relacionadas à fertilidade, métodos contraceptivos e TPM.

Ginecologista e Obstetra

No Brasil, é comum o médico se formar em Ginecologia e Obstetrícia. Isso acontece devido à proximidade entre as duas especialidades. Como vimos, a Ginecologia aborda a saúde feminina como um todo. Já a Obstetrícia trata mais da parte reprodutiva, sendo responsável por acompanhar mulheres grávidas, desde a concepção até o parto.

O Obstetra possui um trabalho bem grande, pois acompanha diversas pacientes e é o líder da equipe médica na hora do nascimento da criança. Por isso, este profissional é muito requisitado e demanda dedicação constante. Afinal, ele precisa estar disponível para o momento do parto.

Como se especializar?

Bom, antes de qualquer coisa você vai precisar passar pelos seis anos da faculdade de Medicina e partir para a especialização, por três anos em residência. Ali, você entra em contato com todos os temas relacionados à saúde da mulher, ampliando seu conhecimento na área.

Outra opção é fazer a Prova de Títulos. Ela é recomendada para quem já tem experiência na área ou especialização no tema. Quem aplica o exame é a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO).

Ginecologista: especialidades

Também existe a possibilidade do médico se especializar ainda mais, focando em áreas específicas dentro do segmento. Atualmente, é possível escolher entre 13 subespecialidades, as quais vão desde a Ginecologia Geral até Uroginecologia e Cirurgia Vaginal. Aí vai da vontade da pessoa e qual segmento ela se identifica mais.

Separamos a seguir algumas das opções para subespecialidades:

  • Climatério;
  • Endocrinologia Ginecológica;
  • Ginecologia Geral;
  • Ginecologia Infantopuberal;
  • Infecção Genital;
  • Mastologia;
  • Planejamento Familiar;
  • Reprodução Humana.

Como está o mercado de trabalho?

Segundo a pesquisa Demografia Médica no Brasil 2018, a Ginecologia e Obstetrícia está entre as especialidades mais procuradas por médicos. No top 10, o segmento aparece como a quarta mais popular, com 8%, atrás apenas de Clínica Médica (11,2%), Pediatria (10,3%) e Cirurgia Geral (8,9%). Completam o top Anestesiologia, Medicina do Trabalho, Ortopedia e Traumatologia, Cardiologia, Oftalmologia e Radiologia e Diagnóstico por Imagem.

Analisando superficialmente os números, você deve estar pensando que o mercado está saturado. Entretanto, a realidade é bem diferente. Atualmente, o Ginecologista é extremamente requisitado, especialmente em cidades maiores. Apesar disso, optar por um local com uma densidade populacional menor pode ser uma boa pedida.

No mais, existem diversas possibilidades de atuação para este especialista. A pessoa pode formar a própria clínica e atuar diretamente com suas pacientes, ou prestar concurso público e fazer a assistência médica em hospitais. Também há a possibilidade de se tornar pesquisador e desenvolver estudos sobre doenças e condições relacionadas à saúde da mulher.

Faculdade de Medicina: o primeiro passo

A gente chegou a tocar no assunto antes, mas é bom lembrarmos que antes de ser Ginecologista, é preciso se formar em Medicina. A faculdade é a responsável por ensinar todos os detalhes sobre o corpo humano, indo desde o tratamento de doenças até a prevenção das enfermidades e garantia de bem-estar aos pacientes.

Fazer faculdade de Medicina é uma vontade de milhares de brasileiros. Conseguir passar no vestibular para o curso ainda é bem complicado, mas nada impossível. Especialmente hoje em dia com programas do governo como Prouni e SISU, os quais ajudam candidatos a realizarem seus sonhos.

MATRICULE-SE EM UMA PÓS-GRADUAÇÃO COM A QUALIDADE DA ESTÁCIO

Que tal ser Ginecologista?

É inegável a importância desse profissional. Afinal, tratar da saúde de um grupo de pessoas tão importantes é uma tarefa extremamente relevante. Por isso, nada mais justo ser um dos segmentos mais procurados entre formados em Medicina.

Bom, agora você já conhece o caminho. Entre na faculdade e saia um profissional com muitas possibilidades para o futuro. O texto te ajudou? Então continue lendo as produções do nosso blog e fique ainda mais bem informado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui