Pensar, planejar e interferir nos espaços urbanos é uma das tarefas principais do arquiteto que trabalha com urbanismo. Com o propósito de melhorar os ambientes e contribuir com a sociedade, o urbanismo é uma forma de trazer mais qualidade a cidade onde vivemos. É uma área com muitas oportunidades profissionais para quem decide investir em capacitação.

Embora tenha surgido oficialmente há menos de duzentos anos, o urbanismo é fundamental para todas as cidades. Afinal, intervir nos espaços urbanos é criar formas de habitar os espaços para que a cidade se desenvolva. É uma alternativa a quem não curte a área de engenharia, porém, gosta de trabalhar com construções e intervenções nessa área.

Enfim, caso essa é uma área que do seu interesse, continue acompanhando esse post. Vamos falar sobre urbanismo e como fazer para trabalhar nessa área tão criativa. Dizer também que a Estácio oferece um excelente curso de Arquitetura e Urbanismo para quem decidir dar o primeiro passo.

Confira!

MATRICULE-SE EM UM CURSO DE GRADUAÇÃO DE QUALIDADE PELA ESTÁCIO

Leia também: 5 tendências em projetos de arquitetura para você se inspirar

O que é Urbanismo

Urbanismo é uma ciência humana. Ela é, principalmente, relacionada ao estudo e planejamento de cidades e as relações entre o espaço e a sociedade, que está sempre em crescimento demográfico.

Em outras palavras, é a ação de projetar e ordenar espaços construídos. Dessa maneira, é fundamental para o bem-estar social. Nele são pensados, por exemplo, os espaços públicos, as áreas de lazer, as áreas verdes, a mobilidade, os locais para habitação, entre outros.

Primeiramente, o termo urbanismo vem da palavra urbe, que foi utilizada nos estudos do engenheiro de Barcelona, Ildefons Cerdà. Ele foi responsável pelo projeto de ampliação da cidade na década de 1850 e inventou a palavra para classificar os diferentes tipos de assentamento humano.

O urbanismo pode variar de acordo com cada época e lugar e está associado à ideia de que as cidades podem ser estudadas, e não apenas trabalhadas. E ainda, deve ser pensado de uma forma que cause o mínimo possível de impacto ambiental.

Existe, inclusive, um dia mundial do urbanismo, que é dia 8 de novembro, comemorado desde 1949. A intenção da data é promover a consciência, sustentação, promoção e integração entre a comunidade e o urbanismo.

Cidade de Belo Horizonte foi o berço do urbanismo no Brasil

Como já mencionamos, o urbanismo existe há bem pouco tempo. Enquanto, no Brasil, ele começou a ser efetivamente usado no início do século XIX, quando foi fundada a cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Já os planos diretores surgiram apenas depois dos anos sessenta para definirem as regras e padrões das cidades. Eles são feitos, principalmente, a partir de um estudo da realidade física, social, econômica, política e administrativa da cidade, do município e de sua região.

Dessa maneira, eles apresentam um conjunto de propostas para o desenvolvimento dos usos do solo urbano. Depois, são aprovados por leis municipais.

Leia também: Nômade Digital: 8 profissões para quem quer rodar o mundo

Planejamento e intervenção dos espaços urbanos

Planejamento urbano é o estudo do crescimento e funcionamento de cidades que já existem ou que já foram planejadas. Dessa maneira, melhoram a qualidade de vida coletiva das cidades.

Tudo isso pensando em ações políticas, ambientais e sociais, feito pelos urbanistas. Tem como objetivo tentar resolver os problemas que o excesso de pessoas em uma mesma área causam. Principalmente pelo fato de que uma cidade que cresce espontaneamente costuma apresentar diversos problemas, desde o saneamento até a segurança.

O urbanismo é extremamente importante no planejamento dos espaços urbanos, principalmente porque nas últimas décadas, a população tem crescido aceleradamente.

Esse crescimento causa diversos problemas que afetam a qualidade de vida das pessoas. Quando há um planejamento, há uma busca por melhorias nesse sentido.

Regras nas cidades

Muitos são os assuntos discutidos durante o planejamento desses espaços urbanos. A mobilidade e a acessibilidade são apenas alguns deles. As cidades planejadas costumam ter regras bem definidas através de um Plano Diretor responsável pela qualidade de vida coletiva.

Uma forma convencional de atuar no planejamento de espaços urbanos é através do setor público. Através de órgãos municipais, como as secretarias de planejamento urbano ou departamentos de transportes. Estes podem atuar mais diretamente nos problemas relacionados ao urbanismo.

Se você se interessou pela área de urbanismo e todas as intervenções e planejamentos relacionados aos espaços urbanos, a Estácio tem um curso de Arquitetura e Urbanismo que vai atender todas as suas expectativas.

Curso de Arquitetura e Urbanismo da Estácio: oportunidade de intervenções em espaços urbanos

O curso de Arquitetura e Urbanismo da Estácio é um curso presencial que tem duração de 5 anos. Ele faz a integração da teoria e prática para formar um profissional com consciência e empreendedorismo social.

O arquiteto formado pela Estácio está apto a atuar no planejamento de espaços interiores e exteriores, abrangendo a escala da cidade, o urbanismo, a edificação e o paisagismo.

O curso prepara arquitetos e urbanistas para criar projetos que traduzam as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidades nos diversos cenários do mundo contemporâneo. Os projetos são estruturados com base na conservação e na valorização do patrimônio construído.

Além disso, estimulam o uso racional dos recursos disponíveis para contribuir com proposições urbanístico-arquitetônicas conscientes e comprometidas com os valores de uma sociedade mais justa e fraterna.

Conheça a grade curricular do curso de Arquitetura e Urbanismo da Estácio. Ela é composta de disciplinas das áreas de humanas e exatas.

Grade Curricular

  • Desenho de Observação;
  • Introdução ao Projeto de Arquitetura e Urbanismo;
  • Materiais e Técnicas Construtivas;
  • Teoria e Crítica da Arquitetura;
  • Ateliê de Projeto: Análise e Composição da Forma;
  • Introdução às Estruturas;
  • Maquete e Planificação dos Sólidos;
  • Mercado Cultural, Formatos de Captação e Parcerias;
  • Representação Gráfica e Desenho Universal;
  • Artes, Arquitetura e Urbanismo: Pré-História Antiga e Idade Média;
  • Ateliê de Projeto: Espacialidade;
  • Conforto Ambiental, Luminotécnica e Ergonomia;
  • Construção Digital e Representação;
  • Língua Portuguesa;
  • Teoria e História do Urbanismo e Paisagismo;
  • Artes, Arquitetura e Urbanismo: Idade Moderna;
  • Ateliê de Projeto: Interface;
  • Conforto Ambiental: Desenvolvimento Prático;
  • Estudos Topográficos;
  • Sustentabilidade em Arquitetura e Urbanismo;
  • Artes, Arquitetura e Urbanismo: Idade Contemporânea;
  • Ateliê de Projeto: Habitar;
  • Instalações Prediais (Hidráulica, Elétrica e Espec.);
  • Interiores Residenciais;
  • Sistemas Estruturais;
  • Ateliê de Projeto: Escalas;
  • Ateliê de Urbanismo: Escalas;
  • Estruturas: Concreto, Metálica e Madeira;
  • Interiores Comerciais e Corporativos;
  • Mobilidade e Sistemas de Transportes;
  • Ateliê de Projeto: Lugar;
  • Ateliê de Urbanismo: Lugar;
  • Paisagismo Histórico Cultural Brasileiro;
  • Representação Gráfica: Modelagem e BIM;
  • Arquitetura da Paisagem: Território;
  • Ateliê de Projeto: Território;
  • Ateliê de Urbanismo: Território;
  • Técnicas Retrospectivas;
  • Estágio Supervisionado em Arquitetura e Urbanismo;
  • Gerenciamento de Projetos e Obras;
  • Trabalho Final de Graduação em Arquitetura e Urbanismo – Pesquisa e Partido;
  • Ética e Legislação Profissional em Arquitetura e Urbanismo;
  • Trabalho Final de Graduação em Arquitetura e Urbanismo – Desenvolvimento;
  • Trabalho Final de Graduação em Arquitetura e Urbanismo – Narrativa e Detalhamento;
  • Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão.

Mercado de trabalho

O profissional de Arquitetura atua desenvolvendo projetos na área de concepção, construção, reforma e manutenção de edificações. Além disso, pode trabalhar com arquitetura paisagística, arquitetura de interiores, planejamento físico, local, urbano e regional.

Tem espaço para atuar na cenografia, patrimônio cultural, no estudo da história da arquitetura e do urbanismo, e, também, como pesquisador.

Conforme mencionamos sobre a intervenção nos espaços urbanos, o mercado de trabalho vem demandando arquitetos e urbanistas que desempenhem a cidadania de modo consciente e crítico. Além disso, que se alinhe às necessidades da sociedade contemporânea, por meio de serviços à comunidade e do exercício consciente da atividade profissional.

Para isso, é necessário que o profissional tenha, principalmente, um perfil relacionado ao empreendedorismo social, humanista, generalista, crítico, reflexivo, ético e capacitado. Assim, abrangendo a escala da cidade, o urbanismo, a edificação e o paisagismo.

Consultorias em espaços urbanos são oportunidade

Para quem deseja trabalhar com urbanismo ou no planejamento e intervenções dos espaços urbanos pode atuar em consultorias, oferecendo serviços e projetos. Você pode atuar não apenas como autônomo, como também em empresas de consultoria nas áreas de mobilidade ou outras áreas relacionadas.

Também é possível atuar na área de pesquisa acadêmica ou no setor público. Existem departamentos de urbanismo em diversos universidades do Brasil, onde se podem realizar pesquisas ou ministrar aulas.

Tem interesse na intervenção dos espaços urbanos?

Não perca tempo e garanta já o seu diploma em Arquitetura e Urbanismo com a qualidade da Estácio, uma das instituições de ensino privado mais respeitadas do Brasil.

Acompanhe mais informações sobre cursos, bolsas, mercado de trabalho e dicas no blog da Estácio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui