Já é possível cursar Engenharia a distância no Brasil. São diversas as opções, como Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Engenharia de Software, Engenharia Química, Engenharia Elétrica e Engenharia de Alimentos. Algumas aulas e práticas são realizadas presencialmente, o que facilita para que exista uma integração maior entre alunos e professores.

Se você tem facilidade em estudar sozinho, é disciplinado e trabalha fora, tendo pouca disponibilidade para ir até uma instituição de ensino todos os dias, uma graduação EaD provavelmente é a melhor opção. Nessa modalidade, é possível assistir às aulas conforme a sua disponibilidade, podendo aproveitar inclusive os finais de semana para colocar as matérias do curso em dia.

Engenharia a distância: saiba mais sobre alguns cursos ofertados

Não se esqueça que uma boa faculdade é o aluno quem faz: no diploma, não haverá diferenciação entre os cursos presenciais e EaD. Então, o que realmente fará diferença na hora de ingressar no mercado de trabalho será o seu esforço, as experiências adquiridas durante a graduação – como estágios e atividades extracurriculares – e o conhecimento obtido e que deverá ser demonstrado por você.

Neste post, separamos quatro cursos de Engenharia a distância que estão entre os mais procurados do País. Confira abaixo o campo de atuação de cada um deles, as disciplinas que compõem as grades curriculares e como estão as oportunidades em cada uma dessas áreas:

1. Engenharia Civil

Quem se forma em Engenharia Civil está habilitado a trabalhar no planejamento, em projetos, vistorias e na avaliação de obras, como prédios, pontes e estradas. O profissional da área também poderá trabalhar focado na área de serviços, envolvendo sistemas de transporte, abastecimento de água, entre outros.

O objetivo desse profissional será sempre o de garantir que a construção fique segura e estável ao calcular fatores como o impacto que os ventos e as mudanças de temperatura podem causar nela.

Veja algumas áreas nas quais um engenheiro civil pode atuar:

  • Estruturas e fundações: nessa área o profissional deverá projetar e levantar estruturas, que podem ser de madeira, aço ou concreto, mensurando o material que será necessário para cada obra;
  • Hidráulica: atuará em obras de canais, drenagem, reservatórios e barragens;
  • Construção urbana: desenvolverá desde o projeto até a construção e as reformas de prédios e grandes empreendimentos, como é o caso de estádios e aeroportos;
  • Transporte: área na qual desenvolverá projetos e a construção de rodovias, viadutos, portos, ferrovias, metrôs, etc.

De acordo com o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), o curso de Engenharia Civil é o que atrai o maior número de alunos dentre todas as engenharias. O mercado ficou especialmente aquecido entre os anos de 2014 e 2016 por conta das obras da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Mas, em seguida, houve retração da atividade econômica no País e diversos escândalos de corrupção que acabaram deixando muitas obras paradas.

O efeito prático disso é que houve uma queda na demanda pelos profissionais formados nessa graduação por um certo período. Com o menor investimento do setor público, a iniciativa privada é quem tem gerado a maior parte das novas oportunidades para os engenheiros civis, especialmente em áreas como edificações, incorporação imobiliária, pavimentação e saneamento.

Informações do portal Seleção Engenharia revelam que as cidades que mais empregam engenheiros civis atualmente são as seguintes:

  • São Paulo (SP);
  • Rio de Janeiro (RJ);
  • Belo Horizonte (MG);
  • Porto Alegre (RS);
  • Curitiba (PR).

Na grade curricular dessa Engenharia a distância há disciplinas como Probabilidade e Estatística Aplicada à Engenharia, Lógica de Programação, Física Teórica Experimental, Cálculo Diferencial e Integral, Cálculo Vetorial e Geometria Analítica, Química Geral, Álgebra Linear, Desenho Técnico, Mecânica Geral, Fenômenos de Transportes, Geologia para Engenharia, Hidráulica, Materiais de Construção e Eletricidade Aplicada.

2. Engenharia de Produção

A área que se preocupa especialmente com a qualidade, a gestão de projetos e a produtividade é a Engenharia de Produção. Além dos sistemas e equipamentos, ela estuda a relação dos humanos com o trabalho. Ou seja, o engenheiro de produção é o profissional que está capacitado a melhorar a produtividade e, consequentemente, as receitas e a lucratividade das organizações.

Como o foco desse engenheiro é a gestão, ele encontra emprego em quase todas as áreas. A indústria costuma ser uma excelente opção, assim como as lojas, as prestadoras de serviços, os bancos, os hospitais, entre outras organizações.

Na hora de se especializar, o engenheiro de produção pode optar por áreas como:

  • Gestão da inovação: tem o objetivo de preparar o profissional para implementar a inovação nas entidades a partir da criação de novos produtos ou serviços. A indústria, o agronegócios, os bancos e o setor público são alguns campos de atuação possíveis;
  • Gestão de qualidade: tem como função gerar dados para a organização a partir de análises qualitativas e quantitativas para que ela supere as exigências de qualidade do mercado. Isso é necessário em empresas de consultoria, indústrias, bancos e órgãos públicos;
  • Planejamento e controle de produção: nesse segmento, o engenheiro trabalha estabelecendo metas e melhorando a relação entre empresa e fornecedores a partir de um aprimoramento da logística. Trabalho indispensável nos segmentos de comércio, bancos, agronegócio e indústria.

A pesquisa salarial da Catho aponta que os profissionais formados em Engenharia de Produção recebem, em média, R$ 5,5 mil. Segundo a tabela salarial da consultoria Robert Half, o diretor de operações/industrial é quem tem as melhores remunerações, podendo chegar a R$ 40 mil.

Conheça algumas das disciplinas que você irá estudar ao se matricular nesse curso de Engenharia a distância: Lógica de Programação, Física Teórica Experimental, Probabilidade e Estatística Aplicada à Engenharia, Cálculo Diferencial e Integral, Cálculo Vetorial e Geometria Analítica, Álgebra Linear, Química Geral, Desenho Técnico, Mecânica Geral, Logística e Distribuição, Resistência dos Materiais, Matemática Financeira, Eletricidade Aplicada, Administração e Operação da Cadeia de Suprimentos, Orçamento Empresarial, Microeconomia, Planejamento e Controle da Produção, Macroeconomia e Custos Industriais.

3. Engenharia Elétrica

Entre as atribuições do engenheiro eletricista está construir e manter os sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

Por ter esse foco de trabalho, esse profissional pode atuar na construção civil projetando os circuitos elétricos das construções ou reformas; na automação, planejando estruturas de automação elétricas para indústrias; no fornecimento de energia elétrica, trabalhando na criação das usinas hidrelétricas, solares e eólicas; na telecomunicação, construindo sistemas de telefonia e de transmissão de dados; e com eletroeletrônica, desenvolvendo sistemas e componentes eletrônicos como placas.

Assim, os profissionais formados em Engenharia Elétrica costumam encontrar oportunidades principalmente em:

  • Usinas;
  • Empresas de telecomunicações;
  • Construtoras;
  • Indústrias de sistemas elétricos;
  • Subestações;
  • Linhas de transmissão.

De acordo com o Guia de Profissões e Salários da Catho, a média salarial do engenheiro eletricista no Brasil é de R$ 6,7 mil. Os estados que concentram as melhores remunerações são Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo. O mercado de trabalho está em alta principalmente em setores como fontes de energia renováveis e telecomunicações.

Nesse curso de Engenharia a distância os estudantes contam com disciplinas como: Álgebra Linear, Arquitetura e Organização de Computadores, Cálculo Vetorial e Geometria Analítica, Ciências do Ambiente, Física Teórica, Química Geral, Lógica de Programação, Desenho Técnico, Física Experimental, Cálculo Diferencial e Integral, Mecânica Geral, Materiais Elétricos, Resistência dos Materiais, Fundamentos de Economia, Eletricidade Aplicada, Circuitos Elétricos, Gerenciamento de Riscos Ambientais, Eletromagnetismo, Comunicações de Dados e Inovação Tecnológica.

4. Engenharia Ambiental e Sanitária

Os engenheiros ambientais e sanitários estão aptos a projetar, construir, aumentar e operar os sistemas de esgoto e de água. Eles também desenvolvem maneiras de promover o desenvolvimento econômico sustentável respeitando os limites da exploração de recursos naturais.

Entre os cargos que podem ser ocupados pelos profissionais formados nesse curso de Engenharia a distância estão:

  • Analista ambiental: faz a ponte entre a empresa onde trabalha e os órgãos públicos para obter licenças e autorizações;
  • Consultor ambiental: auxilia indústrias, companhias e ONGs a implementar projetos de gestão ambiental;
  • Engenheiro sanitarista: é o responsável pelos sistemas de abastecimento de água e de tratamento de esgoto, bem como pelos projetos relacionados à drenagem e irrigação;
  • Engenheiro hidráulico: faz os projetos do sistema de água e esgoto na construção civil.

As principais áreas ocupadas pelos formados em Engenharia Ambiental e Sanitária são: a do saneamento, que traz diversas oportunidades por conta das políticas públicas; a da mineração, com o monitoramento ambiental e a recuperação de ambientes degradados; a da construção civil, com estudos para avaliar o impacto ambiental dos prédios, por exemplo.

O mercado está aquecido para quem faz esse curso a distância. Um estudo da Universidade Federal de Ouro Preto mostra que três a cada quatro profissionais formados em Engenharia Ambiental e Sanitária conseguem emprego em até 12 meses.

Uma outra pesquisa, dessa vez feita pela Catho, mostra que o salário médio de um engenheiro ambiental no Brasil é de R$ 6,1 mil. As maiores remunerações são pagas a profissionais de nível master que atuam em grandes empresas, segundo o Site Nacional de Empregos (Sine).

Entre as disciplinas desse curso de Engenharia a distância estão: Ciências do Ambiente, Ecologia, Topografia, Eletricidade Aplicada, Botânica, Química Ambiental, Investigação de Campo e Remediação, Microbiologia Ambiental e Sanitária, Sustentabilidade na Construção Civil, Hidrologia, Saneamento Básico, Geologia e Pedologia, Ergonomia, Higiene e Segurança do Trabalho, Logística e Distribuição, Modelagem Hidráulica e Ambiental, Geoprocessamento Ambiental, Química Analítica, Uso e Conservação do Solo, Planejamento Urbano e Meio Ambiente, Bioclimatologia, Gestão de Recursos Hídricos e Gestão da Qualidade.

5. Engenharia de Controle e Automação

O profissional formado no curso de Engenharia de Controle e Automação atua com foco no desenvolvimento de projetos de máquinas e no controle dos processos industriais. O profissional dessa área é o responsável pela programação dos equipamentos e faz a manutenção dos sistemas já instalados.

Por ter essas características, o profissional formado em Engenharia de Controle e Automação é capaz de trabalhar nos seguintes segmentos:

  • Infraestrutura: desenvolvendo sistemas de drenagem e irrigação e de conservação de energia;
  • Controle e automação: fazendo o controle e desenvolvendo a automação de sistemas e o monitoramento de equipamentos e de dispositivos mecânicos, eletrônicos, elétricos, magnéticos e ópticos;
  • Tecnologia: criando materiais e metodologias para aproveitar produtos biológicos, desde o acondicionamento até a preservação desses itens;
  • Gestão: atuando na certificação de produtos e processos e coordenando pesquisas operacionais nessa área.

A recessão econômica gerou oportunidades aos engenheiros de controle e automação. Isso porque esses profissionais passaram a ser empregados para auxiliar as indústrias a tornar os seus processos mais automatizados, reduzindo gastos e aumentando a produtividade.

O salário médio para essa carreira é de R$ 6 mil, segundo o guia da Catho, sendo a maior remuneração registrada pelo site para esse profissional de R$ 10 mil.

A grade curricular desse curso de Engenharia a distância contam com disciplinas como: Lógica de Programação, Física Teórica Experimental, Álgebra Linear, Desenho Técnico, Mecânica Geral, Instalações Elétricas Industriais, Eletricidade, Eletrônica Analógica, Bases de Gestão para Engenharia, Eletrônica Digital, Circuitos Elétricos, Redes Industriais, Controle e Servomecanismos, Simulação de Sistemas, Microcontroladores, Acionamento e Comando, Gestão e Legislação Ambiental, Instrumentação Industrial, Processos de Fabricação Mecânica, Sistemas Supervisórios e Automação Industrial.

6. Engenharia de Petróleo

O engenheiro de petróleo é o profissional que tem o conhecimento necessário para desenvolver todo o processo de extração de petróleo e gás. Ele atua tanto na descoberta e na exploração das jazidas de gás natural e petróleo quanto na coordenação da produção de derivados do petróleo.

Entre os principais empregadores dos profissionais formados nesse curso de Engenharia a distância estão:

  • Empresas marítimas;
  • Portos;
  • Geradores de energia;
  • Usinas de álcool;
  • Indústria automobilística;
  • Distribuidoras de combustíveis e lubrificantes.

As principais reservas de gás e petróleo brasileiras estão na Região Sul e na Região Sudeste, sendo essas as regiões que oferecem a maior quantidade de vagas para os profissionais formados no curso de Engenharia de Petróleo. Já no início da carreira é possível ter um salário de R$ 7 mil, segundo a Catho. A média salarial para a profissão fica em torno de R$ 9,6 mil.

Algumas das disciplinas que compõem o currículo desse curso de Engenharia a distância são: Álgebra Linear, Cálculo Vetorial e Geometria Analítica, Ciências do Ambiente, Lógica de Programação, Física Teórica, Desenho Técnico, Mecânica Geral, Resistência de Materiais, Linguagem de Programação, Eletricidade Aplicada, Mecânica dos Fluídos, Logística e Distribuição, Mecânica das Rochas, Geologia do Petróleo, Refino de Petróleo, Sustentabilidade, Direito Ambiental, Arranjos Produtivos e Perfuração e Completação.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui