Sem dúvida, a carreira de diplomata é uma das mais sonhadas por muitas pessoas. Isso porque é uma profissão que proporciona contato direto com outras culturas e países diferentes. Em outras palavras, é uma ocupação perfeita para quem gosta de viajar, por exemplo, além de ser muito bem remunerada. O primeiro passo para entrar nessa área é fazer o concorridíssimo concurso para diplomata. É difícil passar, mas não impossível, e vamos mostrar como neste post.

Em resumo, o diplomata atua dentro do Ministério das Relações Exteriores (MRE), popularmente conhecido como Itamaraty. Na prática, esse profissional trabalha como representante do Brasil em outros países. É um servidor público que intermedia acordos entre duas nações e incentiva as relações econômicas, culturais, políticas, entre outras. Achou legal, não? Então olha o salário: aproximadamente R$ 20 mil mensais.

Você pode se surpreender com essa informação, mas o concurso para diplomata não é exclusivo para profissionais formados em Direito, Comércio Exterior ou Relações Internacionais. Qualquer pessoa com um diploma de ensino superior em qualquer área do conhecimento está apto para fazer as provas, entre outros requisitos ainda mais básicos.

Portanto, se você sempre teve interesse em ser um diplomata, em representar o Brasil em outros países, preste atenção neste post para entender como é o primeiro passo desse sonho. Vamos dar todos os detalhes sobre o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), que ocorre todos os anos, o único caminho para tornar-se um diplomata no nosso países.

Acompanhe!

MATRICULE-SE EM UM CURSO DE GRADUAÇÃO DE QUALIDADE DA ESTÁCIO!

Leia também: Relações Internacionais: saiba como é essa graduação

O que é um profissional diplomata?

Antes de aprofundar sobre o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), vamos passar mais informações sobre o que é ser um diplomata em si. Como já adiantamos, o diplomata é necessariamente um profissional de carreira ligado ao Ministério das Relações Exteriores (MRE), o Itamaraty, um importante órgão do Governo Federal responsável pelo relacionamento do Brasil com as demais nações mundiais.

Na prática, o trabalho do diplomata é representar o Brasil em outros países nas mais diversas missões. Entre elas, de cunho político, econômica, cultural, ambiental, facilitando o contato e a conversa entre os países. O diplomata também tem competência para trabalhar com assuntos nas áreas comerciais, proteção e defesa dos direitos humanos, cooperação e até na paz e segurança internacional.

O diplomata pode trabalhar dentro do Itamaraty e também nas centenas de embaixadas e consulados brasileiros instalados em outros países. Ou ainda em missões internacionais e países sem essas estruturas. É bastante comum esse profissional dar assistência a cidadãos quando necessário fora do país. Outra possibilidade do diplomata é trabalhar junto à Organização das Nações Unidas (ONU), que também dispõe de uma estrutura com muitos cargos.

Portanto, um diplomata não precisa trabalhar necessariamente fora do Brasil. A carreira possibilita a atuação também dentro do país, em setores ligados ao Itamaraty, que possui diversos escritórios regionais por todo o país.

Leia também: Confira aqui 9 profissões para quem gosta de viajar

Concurso para diplomata: o concorrido CACD

Não tem jeito: no Brasil, o único caminho para iniciar uma carreira de diplomata é ser aprovado no Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD). Portanto, é preciso virar um concurseiro experiente, pois o nível de dificuldade da prova é bastante elevado. O CACD é um processo seletivo realizado desde 1996, uma vez por ano, aplicado pelo Instituto Rio Branco (IRBR), ligado ao Itamaraty.

É um concurso com abrangência nacional, com provas aplicadas em todas as capitais do Brasil e no Distrito Federal. A aprovação no CACD habilita o profissional a ingressar no cargo de Terceiro-Secretário da carreira de diplomata. Depois disso, inicia-se outra etapa, a do Curso de Formação de Diplomatas do Instituto Rio Branco.

A carreira de diplomata tem muitos cargos. Após o cargo inicial de Terceiro-Secretário, segue com Segundo-Secretário, Primeiro-Secretário, Conselheiro, Ministro de Segunda Classe e Ministro de Primeira Classe (Embaixador). No final desse caminho, o salário pode atingir facilmente os R$ 30 mil.

Outros requisitos para ser diplomata

Além de ser aprovado no CACD, o candidato a diplomata precisa:

  • Ser brasileiro nato;
  • Estar no gozo dos direitos políticos e em dia com as obrigações eleitorais;
  • Estar em dia com as obrigações do Serviço Militar, no caso dos candidatos do sexo masculino;
  • Apresentar diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior, emitido por universidade brasileira reconhecida pelo Ministério da Educação. No caso de a graduação ter sido realizada em instituição estrangeira, caberá exclusivamente ao candidato a responsabilidade de apresentar, até a data da posse, a revalidação do diploma exigida pelo MEC;
  • Ter idade mínima de 18 anos;
  • Apresentar aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo, verificada por meio de exames pré-admissionais.

Leia também: Comércio Exterior: conheça a profissão e as oportunidades do mercado de trabalho

Como é a prova para diplomata

Em suma, o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) é composto de duas fases:

Primeira fase: prova objetiva, de caráter eliminatório, com questões de língua portuguesa; língua inglesa; história do Brasil; história mundial; política internacional; geografia; economia; e direito e direito internacional público.

Segunda fase: provas escritas, de caráter eliminatório e classificatório, com questões de língua portuguesa; língua inglesa; história do Brasil; geografia; política internacional; economia; direito e direito internacional público; e língua espanhola e língua francesa.

Anualmente, o Instituto Rio Branco lança ou edital com as vagas e as regras de cada CACD.

Coronavírus interrompe concurso para diplomata

Pois é, mais um dos impactos negativos da pandemia do novo coronavírus no Brasil foi na suspensão temporária da edição 2020 do Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), pela impossibilidade de promover provas presenciais. O Instituto Rio Branco (IRBR) informa que um novo cronograma da prova ainda será divulgado.

Portanto, enquanto isso não acontece, a alternativa é seguir estudando para o concurso. Na página do IRBR é possível conferir os editais de todas as provas do CACD realizadas até agora, além dos editais e guias de estudo. A partir dessas informações você consegue entender de forma precisa como é cobrado o conteúdo na prova e também aproveitar para estudar de uma forma mais direcionada.

UTILIZE SUA NOTA DO ENEM PARA ENTRAR EM UM CURSO DA ESTÁCIO!

Concurso para diplomata: vai encarar?

Ser um diplomata no Brasil exige muito conhecimento e dedicação por parte do candidato. A consequência disso é a aprovação no Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), um dos mais concorridos e difíceis do país. Mas alguém passa, e esse alguém pode ser você. Portanto, nunca é tarde para começar a estudar!

Para isso, que tal contar com a ajuda de um curso de graduação com o selo de qualidade Estácio?

Acompanhe mais informações sobre cursos, bolsas, mercado de trabalho e dicas no blog da Estácio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui