Como é o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Você já pensou em cursar Análise e Desenvolvimento de Sistemas? Se você está buscando uma carreira em ascensão e com vagas sobrando no mercado, saiba que essa é uma graduação que deve ser considerada entre as suas opções. Segundo um estudo da consultoria McKinsey, para cada emprego perdido em função da adoção da tecnologia surgirão outros 2,4 postos de trabalho, em média. Ou seja, o futuro será promissor para aqueles que souberem trabalhar na área tech.

Análise e Desenvolvimento de Sistemas é apenas uma das graduações que permitirão a você trabalhar com tecnologia. Porém, é uma das mais completas. Outras que podem ser consideradas são Engenharia de Software, Ciências da Computação e Sistemas da Informação. Ficou interessado por esse curso e pela área de TI? Então confira mais sobre o assunto neste conteúdo.

Como está o mercado para quem opta por Análise e Desenvolvimento de Sistemas

No Brasil, várias cidades já despontam como polos tecnológicos. Entre elas estão Campinas (SP), Belo Horizonte (MG), Florianópolis (SC) e Recife (PE). Esses municípios estão apostando em um setor que é considerado uma indústria limpa, que tem como principal matéria-prima o capital intelectual. Por isso, uma boa formação, atualização frequente de conhecimentos e experiência no ramo contam muito para se destacar no segmento e no mercado.

Além disso, outra vantagem de optar por uma carreira em TI é que mesmo em períodos de recessão econômica o setor tecnológico costuma continuar crescendo. Isso porque é ele quem traz soluções a outras atividades — qualquer uma, como indústria, varejo e saúde — ao ajudá-las a inovar para aumentar a produtividade e poupar gastos desnecessários. Por isso, a tendência é que a área de TI siga em crescimento pelos próximos anos.

O curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas também é uma boa opção para aqueles que visam uma carreira no exterior. Países como Canadá, Alemanha, Estados Unidos e Portugal são alguns dos que recebem um elevado número de estrangeiros para trabalhar em suas empresas de tecnologia.

Esse é um dos motivos pelos quais as companhias brasileiras têm investido em boas práticas de gestão de pessoas e têm, pouco a pouco, oferecido salários cada vez mais atrativos para conseguir reter os bons profissionais no País.

Confira quais as principais temáticas estudadas no curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Abaixo, selecionamos algumas disciplinas com que você terá contato ao ingressar no curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Muitas dessas matérias também contam com pós-graduações. Nesses casos, essas disciplinas acabam sendo o elemento central do curso de pós-graduação. Essas especializações se justificam porque são necessários profissionais muito especializados para garantir um bom trabalho na área de TI.

Saiba mais sobre algumas das disciplinas da graduação de Análise e Desenvolvimento de Sistemas:

1. Programação

Boa parte dos egressos do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas segue carreira na Programação. Essa é uma das disciplinas que servem de base para todas as outras, por isso está presente desde a primeira fase da graduação.

De acordo com Mitchel Resnick, diretor do grupo Lifelong Kindergarten do MIT Media Lab, aprender programação é tão crucial quanto saber ler. Ele acredita que em um mundo repleto de tecnologia, “quem não souber programar será programado”. Hoje, vários colégios já têm a programação em sua matriz curricular, fazendo com que as crianças tenham desde cedo contato com linguagens de códigos.

O programador é o profissional responsável pelo desenvolvimento de softwares, aplicativos de smartphone e bancos de dados. Ele cria códigos para os usuários poderem realizar comandos nos programas. Ou seja, ao clicar no botão de um site ou quando decide jogar um game complexo, você está desfrutando do trabalho de um programador.

São várias as linguagens utilizadas para isso, como Java, HTML, Python e C# — normalmente, o programador é especializado em uma delas.

O profissional que decide aplicar os seus conhecimentos nessa área pode atuar em empresas de tecnologia, trabalhar como freelancer, ser empregado em agências de marketing digital, entre outras possibilidades. O salário estimado de um programador no Brasil é, em média, de R$ 4,2 mil segundo o portal Indeed.

2. Redes de Computadores

Apesar de existir uma graduação tecnológica específica em Rede de Computadores para os interessados na área, o tema também compõe a grade curricular do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

A disciplina de Rede de Computadores ensina os acadêmicos a criar, implementar, gerenciar e fazer a manutenção das redes de servidores e computadores de uma organização, controlando também os níveis de acesso dos usuários da entidade para promover a segurança dos dados da empresa ou instituição.

Os profissionais de Redes de Computadores são requisitados em qualquer organização que reúna um grande número de pessoas e precise ter uma rede confiável e com boa conectividade. Por isso, esses profissionais têm oportunidades em órgãos públicos, hospitais, empresas privadas e diversas outras organizações.

A média salarial de quem trabalha nessa área fica em torno de R$ 4,6 mil, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.

3. Segurança da Informação

Apenas no ano de 2017, foram registrados cerca de 160 mil ciberataques em todo o mundo. Por conta disso e de outros crimes digitais, o profissional especialista em Segurança da Informação está muito valorizado no mercado.

Quem se forma com conhecimentos nessa área pode atuar como responsável por manter seguras as informações de organizações de diferentes portes, de forma a prevenir vazamentos de dados, fraudes e ataques de ransomware.

Para conseguir desempenhar a sua função, o profissional da área precisa estar constantemente atualizado em relação a brechas de segurança, tipos de vírus, problemas em sistemas operacionais e as melhores formas de combater essas falhas, caso elas ocorram, e de proteger as informações da empresa ou instituição na qual ele atua.

O salário médio de um analista de Segurança da Informação é de R$ 4,6 mil, de acordo com a plataforma Glassdoor.

4. Gestão de Serviços para TI

O gerenciamento dos serviços de TI existe para que as tecnologias da informação sejam usadas com qualidade e de maneira alinhada aos objetivos e necessidades de cada negócio. Quando isso é feito, a organização consegue reduzir custos a longo prazo.

No dia a dia da profissão, os envolvidos na gestão de TI coletam, armazenam, processam, selecionam, comparam, distribuem e avaliam dados para que eles sejam úteis no processo de tomada de decisão.

Diante desses desafios, algumas das funções do gestor de TI são: manter o desempenho dos serviços, promover a transformação digital na instituição, garantir a satisfação dos usuários e dos clientes, gerenciar os riscos que as tecnologias da informação podem causar ao negócios e dar suporte a processos organizacionais.

A média salarial do gestor de TI no Brasil é de R$ 4,1 mil, segundo o portal Vagas.

5. Banco de Dados

Um banco de dados é, conceitualmente, qualquer conjunto de dados organizados de forma consistente e acessível. Então, um banco de dados pode ser desde um caderno com informações até um software complexo.

Mas quando falamos da profissão de analista de banco de dados, estamos nos referindo ao profissional contratado para manter em segurança os dados armazenados nos sistemas das empresas. Outras funções desse especialista são desenvolver os melhores programas para esse armazenamento, fazer análises das informações e demais atribuições que envolvam a gestão de dados de uma organização.

Com mudanças na legislação em relação ao processamento de dados, como a criação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), esse profissional encontra, atualmente, muitas oportunidades no mercado. Para se ter uma ideia, todas as organizações que armazenam dados pessoais têm até agosto de 2020 para se adequarem à legislação relacionada ao tema.

De acordo com a Glassdoor, a remuneração média de um analista de banco de dados é de aproximadamente R$ 3,7 mil.

Você se identificou com alguma das cinco áreas apresentadas acima? Todas elas estão no currículo do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da instituição de ensino superior Estácio.

Se você quer saber mais sobre esse curso de graduação, confira outras disciplinas que fazem parte dessa formação:

  • Cenários de Tecnologia da Informação;
  • Organização e Arquitetura de Computadores;
  • Estrutura de Dados;
  • Inovação Tecnológica e Empreendedorismo;
  • Matemática Computacional;
  • Negócios Eletrônicos;
  • Tecnologia para Internet;
  • Engenharia de Usabilidade e Interfaces;
  • Modelagem de Sistemas;
  • Sistemas Distribuídos;
  • Auditoria de Sistemas;
  • Qualidade e Teste de Software.

E o melhor de tudo é que todo esse conteúdo é visto em apenas cinco semestres. Ou seja, você pode terminar a sua graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Estácio após dois anos e meio! Apesar do tempo reduzido para concluir essa formação, esse é um curso de graduação como qualquer outro, ou seja, você terá um diploma de nível superior no final do curso e poderá prestar concursos e fazer especializações.

Só tenha em mente que para cursar Análise e Desenvolvimento de Sistemas é preciso gostar de matérias de exatas, ter bom raciocínio lógico, ser organizado, curioso e inovador. Também é importante ter um bom conhecimento em inglês ou ter interesse em aprender esse idioma.

O que você achou deste post? Caso ainda esteja em dúvida sobre qual carreira seguir, dê uma boa olhada em nosso blog. Nesse espaço reunimos conteúdos sobre cursos de graduação das mais diversas áreas e com certeza você encontrará algum que combina com você. Também estamos à disposição para recebê-lo em nossas unidades para que você possa conhecer mais de perto a nossa infraestrutura. Até logo!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *