A faculdade é um espaço de aprendizado, mas se engana quem acha que apenas na sala de aula o aluno aprende. Para expandir os horizontes, ele deve realizar atividades complementares, exigidas pelas universidades. Assim, é importante compreender como funcionam as atividades complementares Estácio.

Se é obrigatório fazer depende de cada curso, mas todos devem realizar esse tipo de atividade, pois expande os conhecimentos e vivência em determinada área. Assim, ao participar de cursos, workshops, intercâmbios ou estágios, você aplica conceitos de sala de aula no mundo real e cresce como profissional.

Mas como são essas práticas e como realizá-las? A Estácio demanda elas no currículo? Pensando nessas dúvidas, explicamos mais sobre as atividades complementares Estácio. Assim, você consegue finalizar a graduação sem preocupações. Vamos lá?

MATRICULE-SE EM UM CURSO DE GRADUAÇÃO DE QUALIDADE DA ESTÁCIO!

Saiba mais: Como pedir desconto na mensalidade da faculdade? Veja aqui!

O que são atividades complementares?

A Estácio define a prática como “Atividades Acadêmicas Complementares”. Com isso, são tarefas extracurriculares que integram o currículo de cada curso. Essas práticas têm como objetivo estimular o aluno a ter experiências fora de sala de aula, para enriquecer o aprendizado.

Assim, o estudante consegue uma formação mais interdisciplinar, complementando seus estudos com vivências no meio social. A partir disso, você fortalece sua relação com o mundo e, consequentemente, com o mercado de trabalho.

Sabe quando vamos em um evento, fazemos um curso ou participamos de workshops? Nesses momentos exercitamos conceitos que aprendemos na faculdade e entramos em contato com outras pessoas. E tudo isso forma profissionais mais capacitados e com perfis mais diversos.

Não à toa, quase todas as universidades exigem uma quantidade de hora extracurriculares para formar um aluno. A Estácio não é exceção e vamos mostrar mais pra frente como funciona na instituição. Porém, é hora ver alguns exemplos de atividades complementares.

Exemplos

  • Cursos de extensão: podem ser livres ou de formação. Geralmente contam como atividades complementares se tiverem alguma relação com a graduação;
  • Estágio não obrigatório: é o tipo de estágio pago, que serve para colocar o aluno no mercado de trabalho;
  • Iniciação Científica: desenvolvimento de um projeto de pesquisa, com apoio financeiro do governo ou da própria faculdade;
  • Monitoria: auxílio ao professor no desenvolvimento de aulas e correção de exercícios e em cursos de reforço com outros alunos;
  • Intercâmbio acadêmico: experiência de estudar em outro país, a partir de um projeto da universidade.

Atividades complementares Estácio

Primeiro de tudo, verifique se o seu curso exige o cumprimento das atividades complementares e quantas horas você deve atingir. A partir disso, temos um norte para essa questão toda. É importante entender que cada curso determina a quantidade, por isso é difícil estipular o mínimo de carga horária.

Mas calma, tem muita opção para cumprir essa exigência. A primeira dela é participando de práticas no campus, em eventos e cursos da própria Estácio. A segunda forma é em situações fora da universidade, onde oferecem capacitações, congressos e workshops.

Nos dois casos, computar as horas acontece de forma diferente, mas não é um bicho de sete cabeças. Você vai precisar apresentar um certificado ou atestado, mostrando quantas horas durou a atividade. Logo, no seu portal do aluno, vai aparecer a carga horária exigida e o quanto você já alcançou.

Atividades complementares Estácio: práticas internas

Como comentamos, a Estácio dá a chance de cumprir as horas com eventos dentro do campus. Assim, quando você terminar de participar de um evento, curso ou estágio, as horas serão lançadas diretamente no portal do aluno, sem precisar abrir requerimento.

As atividades internas são multidisciplinares e agregam vários conceitos de cursos diferentes. Elas estão organizadas em quatro eixos:

  • Cidadania (Eventos culturais e esportivos, curso e serviços para comunidade externa);
  • Científico-Acadêmico (Audiências e Júris Simulados, Cursos Livres, Iniciação Científica, Semanas Acadêmicas);
  • Empregabilidade, Empreendedorismo e Inovação (Atividades nacionais de Empreendedorismo e Inovação, Olimpíadas e Concursos, Viagens de Excursões Acadêmicas);
  • Sustentabilidade (Ações Ambientais, Oficinas Sustentáveis).

Atividades complementares Estácio: práticas externas

Aqui entram aquelas atividades que comentamos antes. Elas podem ser promovidas por outras organizações, sendo cursos, estágios, congressos e etc. Para computar as horas, o aluno deve abrir um requerimento na plataforma online, anexando o certificado ou comprovante de participação.

Quer um exemplo? Um aluno de graduação decide fazer um curso livre na Udemy, para melhorar seus conhecimentos. Assim, ele escolhe uma formação em uma plataforma online e faz as aulas e exercícios até ganhar um certificado, com determinada carga horária. Depois disso, ele anexa esse documento no portal e as horas são incluídas como atividades complementares.

Leia também: MBTI: conheça o teste para identificar a personalidade das pessoas

Finalize a sua graduação sem problemas

É comum deixarmos para pensar nessas coisas só quando está terminando a faculdade, não é? Mas a verdade é que exigem essas práticas para melhorar a sua própria experiência como aluno.

Tudo tem um propósito, não é para dificultar a sua vida, muito pelo contrário. Por isso, ao fazer a matrícula, verifique o quanto vai ter de cumprir de atividades complementares, assim fica mais fácil de se organizar.

Nosso texto te ajudou? Continue lendo as produções do nosso blog e se mantenha bem informado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui